Friday, April 30, 2010

Allen West Speech


Uma vez que Vimeo retirou o video clip do discurso de Allen West, deixo aqui a sua tradução:

" Obrigado.
 Muito Obrigado e Pamela obrigado pela introdução e Robert, é bom aqui estar convosco hoje, e só vos quero dizer a todos uma coisa: se a verdade se tornou agora expressão de ódio, bem, é melhor prenderem-me também, porque eu não me vou calar.
Um dos princípios chave dos conservadores é a segurança nacional. E o facto de estarmos aqui, e de estarmos agora a falar neste assunto, é uma das coisas da qual o povo americano espera que uma liderança conservadora faça, que é protegê-lo. E se nós não nos erguermos nesta grande convenção em que estamos a participar aqui e agora, e reconhecer quem nós somos e que compreendemos esta situação, este assunto, o povo Americano afastar-se-á de nós. Temos que apoiar os líderes conservadores que aqui estão neste fim semana relevante, para tomar decisões sobre a nossa protecção.
 Agora, deixem-me explicar alguns pormenores. Porque eu estive aqui entretanto sentado atrás a ouvir.
 Estou farto de ouvir as pessoas usarem a expressão "Guerra ao Terror". Não existe tal coisa como guerra ao terror. Na Segunda Guerra Mundial, que esperteza (ironia) teria sido se os Estados Unidos da América tivessem dito que estavam em guerra com a Blitzkrieg. Ou se estivessem em guerra com os Kamikaze. Uma nação não vai para a guerra contra uma táctica militar. Da mesma maneira, quando vocês aqui sentados vêm os nossos líderes estratégicos aqui em Washington D.C. a irem a todos esses shows domingueiros e falarem acerca do tão fantástico que é direcionarmos 'drone attacks', e pensam naquilo que aconteceu no Vietname,
quando Lyndon.B.Johnson aprovava o bombardeamento, exactamente aqui  na Casa Branca, que não é o que um pensador estratega é suposto fazer. Isto não é uma perspectiva estratégica.
 Uma nação vai para a guerra contra uma ideologia, é aquilo de que temos estado a falar aqui hoje. Nós temos estado a falar do facto de sermos contra algo que é uma ideologia política teocrática e isso...
chama-se Islão.
Isto não é sobre muçulmanos. É o mesmo que aconteceu na Alemanha Nazi: nem todos os alemães eram Nazis. O mesmo aconteceu quando eu estive no Iraque em 2003, nem todos os iraquianos eram membros do partido Baath. Do que estou aqui a falar é de uma ideologia que existe desde 622 AD, desde o século VII, que começou com uma coisa chamada o ataque a Naklah, que aconteceu depois de Maomé fazer a sua Hijra deixando Meca e indo para...Medina. É violento desde então. Sempre confrontou a Civilização Ocidental, e isto, é só mais um capítulo no longo livro que eles estão a escrever para conquistar todos e cada um de nós. E agora é a nossa vez, tal como os nossos antepassados tiveram de se erguer, e fazer recuar estes inimigos, nós temos agora que nos erguer e fazer recuar estes inimigos, hoje.
Vocês ouviram [o Oficial reformado dos serviços de inteligência militar] Stephen [Coughlin] falar sobre 'ab-rogação'. Precisam de compreender coisas como o tratado de Hudaibiyah, como será aplicado e como vos enganará esperando até que eles se tornem mais fortes,que foi a maneira como em 627,
628, Maomé foi capaz de entrar, e conquistar Meca. É exacatamente a mesma coisa está que acontecer agora. Têm de compreender as tradições de Maomé. Quando ele escreveu a Chosroes, o imperador Persa, quando escreveu a Heraclius, o Imperador Bizantino, afirmou, "têm três opções. Converterem-se, subjugarem-se, ou então, nós vimos cá buscar-vos. Bem, sabem que mais?
Em 1992,Osama Bin Laden fez exactamente o mesmo. Escreveu uma carta aos Estados Unidos da América. Mais tarde em 2005 ou 2006, Mahmoud Ahmadinejad fez exacatamente o mesmo. Enviou uma carta ao povo Americano e ao Presidente Bush. Nós estamos já numa guerra declarada, e se não tivermos o tipo de liderança que entenda isso, que estude este inimigo, este adversário, estamos no caminho da perdição desde já, neste grande país. Precisamos de compreender isto. Todos aqui se ergueram e vos disseram a lei da sharia é incompatível com aquilo que nós somos na Civilização Ocidental, e definitivamente com quem somos e o que defendemos nos Estados Unidos da América. Isto não é sobre liberdade. Não é...
sobre independência. Não é sobre a proteção aos direitos humanos ou aos direitos da mulher. É sobre aquilo que o Islão quer: submissão é o que a palavra significa.
 Mas eu não sei o que vocês pensam. Eu não viverei como um dhimmi (subjugado). Não viverei sujeito a qualquer outro tipo de ideologia excepto aquela que está escrita na Constituição destes grandes Estados Unidos da América.
Obrigado.
Nós devemos compreender que temos que retomar a iniciativa nesta luta. O mesmo deve acontecer para os nossos jovens soldados que operam sob regras restritivas de batalha que os impede de terem iniciativa contra o inimigo. Vocês viram isto mesmo em Marjan na província de Helmand, onde os Taliban chegam e
 largam as suas armas, e gozando, deixam furiosos os nossos soldados, e partem para lutar novamente.
 Isto não aconteceria sob o meu comando se eu fosse comandante-em-chefe. De igual maneira: Nós precisamos de desenvolver a estratégia certa nas regras de confronto. Porque os nossos direitos constitucionais não deveriam ser acessíveis a inimigos combatentes ilegais como determina a Convenção de Geneva.
Não podemos permitir mais a este inimigo que  use esta nova táctica de 'jurisdição universal' que, para a maioria das pessoas aqui presentes, é a maneira de como eles continuam a tentar apanhar-vos para que se calem. Nós deveriamos ir atrás deles, não lhes permitindo que usem o nosso sistema legal, e raios me partam, se algum advogado tiver avançar e processar um cidadão dos Estados Unidos para lhe tirar a sua liberdade de expressão, não será meu irmão nem minha irmã. Devem fazer as malas e abandonar este país.
Se nós continuarmos nesta atmosfera de multiculturalismo politicamente correcto that's on steroids, nós estamos a impedirmo-nos de tomar a correcta e justa acção. Nós vimos o que aconteceu no Sudão. Vimos o que está acontecer na Áustria. Sabemos o que está acontecer a Geert Wilders na Holanda. Sabemos o que está acontecer na Dinamarca.
Análise de tendências é o que nós lhes chamamos. Não tem nada de errado. E para todos vocês aqui...
dos media, párem de lhe chamar profiling (extrapolação de perfil?). É sobre a identificação do inimigo, daquilo que faz e ir atrás dele.
Quando fui comandante no Iraque, eu sabia que jovens em motas sujas saíam dos arvoredos para colocar IEDes (explosivos improvisados) e atacar-nos. E eu não fui à caça de mulheres em burqa a meio da noite, nas suas casas. Isto é análise de tendência. Párem de ser politicamente correctos, párem de permitir que eles venham para o nosso país.
Se não comprenderem que a realidade dos vossos inimigos se tornará a vossa própria realidade, podemos então continuar a viver neste estado de negação. Quando eu li sobre o ataque do Major Hasan a Fort Hood fiquei absolutamente consternado. Quando me pus a ver o show de Domingo, quando o General Casey, Chefe do Estado Maior do Exército, disse que estava tão mais preocupado com os danos provocados à diversidade do que com a perda de trinta soldados de Fort Hood Texas, nós temos problemas com a liderança destes Estados Unidos da América.
Nós devemos aceitar a realidade deles. E o caminho a seguir é tão simples. Temos que ter o tipo de liderança certa neste país. Porque tudo se resume a isto.
Temos que ter o tipo de liderança certa na Europa. Temos que ter o tipo de liderança certa que não tenha medo. Membros dos Media: Párem de atacar os Judeus e os Cristãos. Párem de ter medo deste inimigo. Mostrem o mesmo tipo de veemência que querem contra os vossos companheiros americanos contra eles. Porque, deixem-me dizer-vos uma coisa: daqui a trinta ou quarenta anos, se eles tiverem sucesso, e controlarem este país não haverá mais imprensa livre. Não haverá mais discurso livre. Não haverá mais liberdade de expressão. E sabem que mais? Vocês terão sido cúmplices nisto porque são demasiado cobardes para tomarem uma posição.
 Agora...agora é altura para uma liderança de princípios nos Estados Unidos da América, porque, conforme a citação que Elisabeth fez de mim próprio: quando a tolerância se torna uma rua de um só sentido, conduz ao suicídio cultural. Quando eu poder voar para a Arábia Saudita com a minha Bíblia na mão, com a minha cruz à volta do pescoço, ir a Meca, e entrar numa igreja. Sabem que mais? Podemos avançar.
 Mas até essa altura, nós temos que compreender, que as metas e o objectivos que o Islão fixou prosseguem. Nós temos que ter orgulho naquilo que somos. Não podemos ter uma liderança que se apresente perante a assembleia geral turca, e dizer que a América não é uma nação Judaico-Cristã.
 Não podemos ter uma liderança, que se apresente perante a Universidade do Cairo no Egipto, e pedir desculpas pelos Estados Unidos da America. Isto não é acerca do que é o orgulho de ser Americano.
Não podemos ter uma liderança a quem se pergunte, 'Como é que define a vitória?', e eles não possam responder. Bem, deixem-me vos dizer: É assim que eu defino vitória, tal como Ronald Reagan fez quando lhe perguntaram acerca do comunismo,
 "Nós ganhamos, eles perdem". Deus vos abençoe a todos...
 Obrigado."

Hizbollah Prepara Nova Guerra Contra Israel.

Os Muçulmanos libaneses preparam outra guerra contra Israel e contra os Cristãos Maronitas libaneses.


O correspondente libanês do Tundra Tabloids fez uma reportagem em que prova a iminência de uma nova guerra entre o grupo terrorista muçulmano Hizbollah e o Estado de Israel e contra  os grupos de Cristãos libaneses.
Deixo aqui alguns excertos do relatório:
" A situação no Líbano está longe de ser boa. Há uma tensão no ar por causa das eleições municipais que vão ter lugar no próximo Domingo. Existe uma séria ameça para os Cristãos na região. Se a guerra estalar entre o Hizbollah e Israel, os xiitas atacarão as áreas Cristãs de Beirute bem como o Sul do país. Eu recebi mensagens de duas fontes fidedignas com estreitos laços com os partidos Cristãos e com as forças militares Cristãs, que se estão a prepar para a guerra. Afirmam ainda que a guerra começará com uma provocação militar do Hizbollah no Sul. Assim, se este grupo terrorista islâmico tomar alguma iniciativa bélica na fronteira de Israel, a guerra poderá ao mesmo tempo tomar forma de uma guerra civil entre os xiitas e os Cristãos Maronitas. De acordo com as minhas fontes bem colocadas, não existirão combates entre Cristãos, apesar do no passado, alguns destes grupos estarem alinhados com Nasrallah. Não existirá nenhuma coligação de Cristãos-Muçulmanos contra outros Cristãos. Só as forças libanesas (Cristãs) estão bem apetrechadas com armamento para fazer frente com sucesso ao Hizbollah. Estes pretenderão tomar certas áreas nas montanhas nas vizinhanças de Beirute se os combates começarem, porque as altas montanhas são áreas estratégicas para o derrube do F-16 Israelitas. Existem evidências que os terroristas pretendem controlar estas áreas montanhosas Cristãs. Sei também que os Cristãos que vivem na diáspora, foram avisados por políticos, através de contactos pessoais, que não será boa ideia regressarem de férias ao Sul do Líbano no próximo Verão. Acredito ainda, que as embaixadas estão a avisar os cidadãos libaneses para evitarem vir ao país este Verão. Os meus contactos com Israelitas também me afirmaram que não esperam passar este ano sem mais uma guerra devastadora. Se tal ocorrer, os Israelitas não esperam qualquer apoio técnico e diplomático da admnistração de Hussein Obama. Pelo contrário o regime de BH Obama deve trabalhar activamente contra os Israelitas."
Neuromante faz votos para que, mesmo sem o apoio da admnistração americana, os Israelitas esmaguem os vermes islâmicos do Hizbollah.

Monday, April 26, 2010

Boobquake: Mamas Telúricas



O mullah iraniano, de nome tão impronúnciavel como o vulcão islandês, Hojatoleslam Kazem Sedighi provocou a fúria feminina por todo o mundo, quando recentemente afirmou que, as mulheres promíscuas são as responsáveis pelos sismos.
Foi criado então uma página no FaceBook denominado "Boobquake" (tremor ou sismo de mamas), com a participação de mais de 20 000 mulheres, que prometem hoje, 26 de Abril, mostrar o mais que poderem o decote. Se o mundo não desaparecer num apocalíptico terramoto provocado pelo vislumbre das glândulas mamárias femininas, então o Sedighi, está com um problema tectónico de credibilidade.
Neuromante associa-se a esta manifestação mamífera e expõe as suas próprias boobs.

Dia Mundial Do Desenho De Maomé.

Maomé e Aisha
No próximo dia 20 de Maio, comemora-se o Dia Mundial Do Desenho de Maomé. Esta é uma grande ideia. No próximo dia 20, vamos todos desenhar o Maomé e expô-lo ostensivamente; na roupa, no automóvel, nos blogs, nas capas de livros, deixar desenhos em autocarros, cafés, restaurantes, etc.
 Se você não tiver talentos artísticos, pode pegar no seu cartoon preferido do profeta e imprimir, por exemplo, numa T-shirt baratusca. Ou imprimir os desenhos e oferecer aos amigos.
Esta ligação apresenta dezenas de desenhos e fotomontagens bem engraçadas de Maomé.

Sunday, April 25, 2010

Chris Horner Drops Bomb: Predicts first major ethics scandal

Abril 24, 2010
Chris Horner, autor dos livros The Politically Incorrect Guide to Global Warming e de Power Grab: How Obama's Green Policies Will Steal Your Freedom And Bankrupt America  recentemente publicado, revelou no Global Cooling Radio, que amanhã dia 26 de Abril um grande escândalo de natureza ética envolvendo a admnistração de Obama, vai ser divulgado. Deixo aqui as palavras de Chris:
"You're going to see the first ethics scandal in the Obama administration. We've got our hands on some internal documents revealing a serious conflict of interest at a very high level on these green jobs and stimulus and the policies that Carol Browner was talking about. It isn't Ms. Browner, but it is someone tied to Al Gore. (Vão ver o primeiro escândalo ético da admnistração Obama. Temos em nossas mãos documentos internos que revelam sérios conflitos de interesses, ao mais alto nível, envolvendo os empregos verdes e as políticas e os estímulos de que Carol Browner tem falado. Não se trata de Miss Browner mas de alguém ligado a Al Gore.)
O Al Gore é um mentiroso nato tão grande como o Sócrates ou o nuestro hermano Sapateiro.Todos sabemos como os socialistas se amanham com os dinheiros dos contribuintes. Atiram-nos para cima idealismo barato e ficam-nos com a nota. Os socialistas gostam e gastam o dinheiro dos outros, tanto cá como em qualquer lado. Está-lhes na natureza. Por isso engordam o Estado. Quanto maior o Estado, maior as probablidades de aliviarem os contribuintes. Chamam a isso "justiça social" (JS). Se juntar-mos à JS, os inúmeros choques com que brincam à política : tecnológicos, energias alternativas, fiscais e outras coisas mais, tanto mais cifrões arrecadam. Tudo em nome de um futuro verde, do combate à pobreza e à exclusão, da competitividade, de uma Escola de qualidade, das tretas do costume. No fim nada funciona, mas as contas bancárias crescem, as empresas do regime reconhecem os amigos, os empregos em multinacionais do ramo, como por exemplo a ONU, abundam.

Rock´n Roll No Irão Fascista.

Rock´n Roll in Iran.
No One Knows About Persian Cats é um filme que retrata a luta de uma juventude oprimida pelos mullhas islâmicos que proibiram toda a música Ocidental. O video clip que aqui deixo, mostra a vida no underground possivel de Teerão. A banda tentou agendar um concerto num qualquer pardieiro dos arredores da capital iraniana, mas mesmo aí na assistência, as raparigas estão separadas dos rapazes. Estão a imaginar assitir a um concerto do Iggy Pop (ou outro qualquer) com os sexos separados? Será que a avidez da juventude pelo sex, drugs and Rock´n Roll do way of life Ocidental, vai poder contribuir para derrotar o islamismo?
Free Iran


Saturday, April 24, 2010

CyberWAR! South Park Fan's Revenge.

Hackers Against Islam

O Website, Revolution Muslim, dos muçulmanos que ameçaram os criadores de South Park, foi atacado por hackers e encontra-se absolutamente desligado. Fantástico malta!

Cheers People!

Thursday, April 22, 2010

Marrocos Expulsa Cristãos.

Os autores do blog Também Isto É Vaidade, divulgaram uma carta enviada ao embaixador de Portugal em Marrocos, protestando contra a expulsão de cristãos naquele país. Começa a ser tempo de lhes pagarmos da mesma moeda, e enviar à procedência uns tantos marroquinos que andam por aí a monte por essa Europa abaixo.
Para saber mais:
Liberdade religiosa em Marrocos

Dia da Terra / Day Of The Earth.

Para comemorar o Dia da Terra nada como lembrar alguns ataques dos terroristas verduscos. Com o elevado patrocinio de Texas PropagandaBuster Daddy

1. Eco-terrorists #1.



2. Eco-terrorists #2.



KAMPAI

3. Eco-terrorists do not go to Texas, because....they are a bunch of  fascists cowards

Wednesday, April 21, 2010

Criadores De South Park Ameaçados de Morte Por Muçulmanos.



Matt Stone e Trey Parker, criadores da série de desenhos animados South Park, foram ameaçados de morte no site de um grupo americano de muçulmanos, denominado Revolutionmuslim.com, por terem representado o Mau-mé num dos episódios. A voz gravada por cima de imagens arrepiantes de violência explicava como as pessoas que insultam o Mao devem ser assassinadas. Apresentaram fotografias de Stone e Parker, juntamente com fotos de Theo Van Gogh, Ayaan Hirsi Ali, Geert Wilders, Kurt Westergaard, Lars Vilks, and Salman Rushdie. As implicações são óbvias.

“it is in The West” -Ibn Warraq

Ibn Warraq é um escritor paquistanês altamente crítico do Corão. Fundou o Instituto para a Secularização da Sociedade Islâmica. Escreveu 7 livros entre os quais: Why I Am Not a Muslim (1995), The Origins of the Koran (1998), The Quest for the Historical Muhammad, (2000), What the Koran Really Says: Language, Text and Commentary (2002) e Defending the West: A Critique of Edward Said's Orientalism, (2007). Participou na Conferência "Victims of Jihad" organizada pela International Humanist and Ethical Union juntamente com Bat Ye'or, Ayaan Hirsi Ali e Simon Deng.

Monday, April 19, 2010

Convertido Ao Islão Converteu-se Ao Assassínio.


Um homem em Chicago matou 6 membros da sua própria família em casa, e feriu gravemente 2 outras pessoas. Entre os mortos, está a sua mulher e dois filhos ainda não nascidos.
O sr. Larry passou uns tempos há sombra numa prisão federal e enquanto por lá descansou - advinhem - converteu-se ao islão. Quando saiu da pildra, ficou furioso porque a mulher e os outros membros femininos da família recusaram-se a vestir hijab, como manda a sua nova religião. Assim o senhor decidiu actuar segundo os preceitos do profeta e matou-as a todos, encontrando-se agora sob custódia da polícia. Talvez se o juíz o mandar sentar numa determinada cadeira ele possa chegar mais depressa ao encontro das virgens que aguardam os assassinos que matam em nome de Maomé.

Coisas Que Ofendem Os Muçulmanos (5)

Esta não é uma lista exaustiva e muito menos encerrada. Qualquer crítica, escrita ou ilustrada ao islão, qualquer coisa que mostre que o califa vai nú, é considerada ofensa. Conforme já afirmei, critiquemos o islão pelo menos uma vez por dia, é a nossa liberdade levada á prática. É a recusa da submissão.

Arte:

1. Exposição de fotografia no Harper College. Outubro de 2005. Uma exposição de fotografia naquela universidade americana, gerou inflamados protestos dos estudantes muçulmanos que ali então estavam matriculados com bolsas de estudo, pagas pelos contribuintes americanos. A escola convidou um fotógrafo de Chicago Amir Normandi para expôr os seus trabalhos que versavam o tema do desafio ao vestuário descriminatório que o islão exige que as mulheres enverguem. Uma das fotografias mostrava uma mulher muçulmana nua, em que só a cabeça estava coberta com um daqueles farrapos negros com que os machistas muçulmanos obrigam as mulheres a cobrirem-se. 
2. Exposição ZOG. Março de 2008. Uma galeria de Berlim encerrou um exposição de arte realizada por um grupo de artístas dinamarqueses que se autodenominam Surrend, após ter sido ameaçada de violência por um grupo de 6 jovens muçulmanos, que exigiram que um poster mostrando a Kaaba em Meca fosse retirado. A galeria Norte no centro de Berlim encerrou a exposição denominada "Zionist Occupied Government" que mostrava inúmeros trabalhos denúnciando o crescente anti-semitismo na Europa.

3. Instalação Shark. O governo belga proibiu uma instalação de David Cerny, que mostrava Saddam Hussein como um tubarão dentro de um aquário. São os muçulmanos que já mandam na Europa e o nossos políticos são paus mandados dos árabes.

4. Escultura de Maomé. Em 1997 a CAIR exigiu que uma escultura que representa o profeta fosse apagada do Supremo Tribunal em Washington, por mostrá-lo com um livro na mão, o Corão, e uma espada na outra. O islão proibe a representação do dito cujo.
5.Pulpito em Igreja Setecentista. Bélgica, Maio de 2008. A polícia protege a Igreja Católica em honra de Nossa Senhora que data de 1658, dois anos após a batalha de Vienna de Áustria onde os Exércitos Cristãos liderados pelo rei polaco Sibieski III, derrotaram os turcos que se preparavam para conquistar a Europa. A escultura em madeira num dos púlpitos foi feita por Mattheus van Beveren, e representa um homem rodeado por anjos como símbolo da vitória da Cristandade sobre o Islão. Pensa-se que o homem representa Maomé, segura um livro que se julga ser o Corão. Um jornal turco exprimiu com ira a representação no púlpito, com o seguinte cabeçalho nessa edição: “Stop this hideous insult.” Os jornalistas turcos exigiram que os belgas retirassem o púlpito da Igreja. Desde a publicação dessa pretensão do jornal turco que as autoridades recebem regularmente ameaças de fogo-posto da Igreja.
 6. Frescos de Bolonha. Junho de 2002. Um grupo muçulmano com ligações á al-Qaida foi suspeito de preparar uma acção terrorista destinada a destruir á bomba uma Igreja de Bolonha que possui no seu interior um fresco gótico do séc. XV que mostra Maomé a ser atormentado por demónios no Inferno.
7. Estátua de Madre Teresa na Albânia. Passado dez anos da morte da freira, os católicos pretenderam erigir uma estátua em sua honra. Os muçulmanos albaneses, que são a maioria, opuseram-se, afirmando que a estátua ofendia os seus sentimentos.
"Não queremos a estátua em público porque é um símbolo religioso. Se a tiverem que erguer, que seja num espaço católico". Desta vez concordo com eles, e pelas mesmas razões, tudo o que é mesquita e minarete na Europa, deve ser arrasado. Se tiverem que ser construídas, que o sejam nos espaços muçulmanos, isto é, do outro lado do Mar Mediterrâneo.
8. Estátuas de Cegonhas. O islão também proibe a representação de animais. Vai daí ós pois que um grupo de imbecis islamistas atacaram á martelada umas estátuas das pobres aves, em Dhaka no Bangladesh.
9. Estátuas de Cristo na Holanda. Janeiro de 2009. Um residente em Amsterdão de 37 anos foi sentenciado a 60 horas de trabalho comunitário (pena pesada hã!) por ter destruído 2 estátuas de Jesus Cristo em Nuenen e Deurne. O magistrado em Den Bosch também o acusou de ter destruído 5 campas na paróquia de Lambertus em Helmond. O homem é turco e vive na Holanda há 11 anos.
10. Exposição "Det er ikke forbudt å tenke" ("Não é Proibido Pensar"). Noruega Março de 2009. Numa série de 12 imagens gráficas Ahmed Mashhouri, pegou numa série de 12 passagens controversas do Corão e retratou-as. A exposição foi inaugurada em Ulefoss e imediatamente a biblioteca local foi vandalizada por muçulmanos. Passados meses as imagens tornaram a ser expostas noutro local e tornaram a ser vandalizadas por muçulmanos. Mashhouri e sua mulher são refugiados iranianos e afirmaram á imprensa que "estamos desapontados porque julgávamos  que vinhamos viver para  um país livre".
Meu caro, onde há muçulmanos não há liberdade, já o devia saber melhor do que ninguém.

Sunday, April 18, 2010

O Longo Braço Do Islão.

Uma menina egípcia de 15 anos que se converteu ao Cristianismo foi atacada com ácido na cidade de Alexandria. O seu pai também um convertido ao Cristianismo, protegeu-a, durante o ataque, evitando que a filha ficasse com severas e permanentes feridas provocadas pelo ácido. Ambos são alvos de fa(r)twas que os condenam á morte.
Noutras notícias, o longo braço do islão, toma posições em orgãos de comunicação que lhes são desfavoráveis. O principe saudita al-Waleed bin Talal, um dos mais ricos activistas do islão do mundo, comprou em 2005, 5,46% das accões da News Corp, tornando-o o quarto maior investidor na Fox News.
Quer o investimento árabe no Ocidente, quer os imigrantes muçulmanos mais a suas mesquitas e minaretes são um cavalo de tróia cujo resultado será a nossa derrota.
Por "coincidência", 5,46% das acções é a quantidade necessária para que ele tenha assento no censelho de admnistração daquele grupo de comunicação social americano, o que dá ao principe saudita a possibilidade directa de influenciar as políticas editorias da mais popular televisão por cabo americana, que é geralmente tida como conservadora e moderadamente critica do islão.
 

Friday, April 16, 2010

Coisas Que Ofendem Os Muçulmanos (4)

Filmes, Artes Cénicas e Comunicação Social. Parte III

1. Filme Crossing Over, com Sean Penn e Harrison Ford. Muçulmanos iranianos não gostaram de se ver a praticar crimes de honra neste filme. Após meses de pressão, conseguiram em Agosto de 2007 que essas cenas fossem retiradas. No entanto, partes explicitamente anti-semitas permaneceram neste filme.
2.Filme Um Violino No Telhado, (anos 70) foi considerado pelos muçulmanos uma conspiração sionista. O filme retrata como os judeus eram marginalizados e estigmatizados no leste europeu. A paranóia dos filhos de Alá dura à 14 séculos... Já é altura de se tratarem !.

3. Proprietários de antenas parabólicas. Em Setembro de 2008, a BBC noticiou que os juízes sauditas tinha lançado uma fa(r)twa que afirmava que era moralmente aceite matar os proprietários de parabólicas que recebessem canais imorais.
4. Filme The Wrestler, com Mickey Rourke. Na cena em que um lutador chamado Ayatollah agitava no ringue uma bandeira iraniana, e em que Rourke lha tirou, e partindo-a arremessou-a  para o público, os iranianos acharam que esta cena os ofende, e acusaram Hollywood de guerra psicológica contra o país dos mullahs.
5. Radio Basingstoke/ Reino Unido. Em Janeiro de 2009 o site da radio foi alvo de pirataria islâmica por ter desejado um feliz natal ás tropas britânicas e por ter passado a versão de Hallelujah de Cliff Richards. Os muçulmanus deixaram uma mensagem escrita em verde sobre um fundo negro, dizendo que Ala abençoa os moujahidines, e avisaram o Ocidente para não insultarem o Islão. 
6. Lowell Green,  um sénior locutor de rádio de Otava, realizou um programa de debate aberto a opiniões  pelo telefone, e elaborou  uma série de perguntas incómodas sobre a fé muçulmana, para que os ouvintes dessem opinião. O programa foi imediatamente inundado por muçulmanos que o repreendiam por insultar o Islão defendendo o ponto de vista que se trata de uma "religião da paz". Lowell observou que “Almost every act of terrorism around the world today is carried out in the name of Islam,”. Don’t tell me this is the work of a few fanatics." Posteriormente Green foi pressionado pela direcção da rádio para não tocar mais naquele assunto.
7. O documentário jihad for love. O channel 4 recebeu ameaças de bomba e de morte por muçulmanos ofendidos, depois daquele canal ter emitido um documentário sobre a homosexualidade nos países islâmicos.
8. Cinema e Teatro. O Asia News de 10 Abril 2010 noticía que o mufti da Arábia Saudita declarou que o Cinema e o Teatro são contrários à sharia e à fé islâmica, uma vez que distraem as pessoas dos seus deveres da oração.
9. Actores e Actrizes trabalhando juntos. Uma rusga feito pela mutawa, a Comissão para a Promoção da Virtude e da Prevenção do Vício (polícia religiosa) num hotel em Riad, onde se filmava uma telenovela, levou á prisão os actores, o staff da produção e uma actriz, que foi a única condenada a frequentar sessões de re-educação moral.
                                                                                             
10. Matrix Reloaded. Alguns países muçulmanos baniram o filme. No Egipto, o filme foi acusado de promover o sionismo, e o argumento, centrado na busca pelo criador e no controle da raça humana, podia despoletar uma crise social. São completamente débeis mentais...
Estes são só alguns exemplos de como esta religião-política é altamente censora, autoritária e repressora- fascista, quer para os seus seguidores, quer para todos aqueles que, sendo "infiéis", têm a liberdade e o orgulho de a criticar. Uma vez que tomam a crítica e a liberdade de expressão  por ofensa, é obrigação de qualquer homem e mulher de espírito livre de, pelo menos uma vez por dia, exercer a sua liberdade de ofensa, a uma religião que ultrapassando todos os limites da indecência na repressão da humanidade, nada menos merece que o nosso colectivo desprezo e escárnio.

Wednesday, April 14, 2010

Lista De Coisas Que Ofendem Os Mulçumanos (3)

Filmes, Artes Cénicas e Comunicação Social -Parte II

1. Talk Radio/Michael Savage- A odiosa Council on American-Islamic Relations (CAIR), um grupo que pode ser o braço legal da al-Qaeda, é muito activo no silenciamento de todas as vozes que nos EUA mostram que o Islão moderado é ficção. Aliás são os próprios "moderados" da CAIR que provam, pela sua oposição a qualquer voz critica do islão, que o califa vai nú, isto é, que o islão moderado não existe.
A CAIR levou a efeito uma, entre muitas, acções contra a National Review Magazine, contra  Paul Harvey, uma personalidade no meio radiofónico americano, e contra os produtores do canal 24 de televisão. Em 2007 perseguiu Michael Savage, voz premiada dos Talk Shows americanos. A CAIR fez pressão sobre os anunciantes do programa de Savage e por submissão e cobardia as companhias retiraram o apoio publicitário. Se conseguirem destruir a carreira de Michael Savage isso será o equivalente a destruirem as torres gémeas da critica nos EUA.
2. You Tube -  Os muçulmanos conseguiram que os responsáveis do You Tube retirassem vezes sem conta material que os incomodava e ofendia. O caso mais notório foi o do filme de Geert Wilders - Fitna.
3. Bruce Almighty foi proibido de ser exibido em vários países muçulmanos. No Egipto não encontraram melhor explicação do que a do Altíssimo não poder ser mostrado em figura de gente, (ainda por cima negra e superiormente representado por Morgan Freeman como é seu apanágio.)
4. Evan Almighty, banido na Malásia por pretensas ofensas á religião dos malaicos. Muçulmana claro!

5. Versão dramática dos Versículos Satânicos.  Segundo a Reuters (Berlim), em 28 de Março de 2008, um grupo de muçulmanos protestou violentamente contra a versão teatral do livro de Salman Rushdie. Nurhan Soykan, porta-voz de (mais um) conselho central dos muçulmanos da Alemanha, disse à imprensa que os muçulmanos acreditam na liberdade de imprensa (a sério? Não me digam?) e na liberdade de expressão, mas esta "tem os seus limites". "Nós estamos preocupados com as provocações e os insultos contra os muçulmanos que recentemente se têm verificado". (Porque será?)
6. O filme, A vida de Maomé. 30 de Março de 2008. O ex-deputado do Partido Trabalhista holandês
Ehsan Jami, fundador do Comité de Ex-Muçulmanos anunciou que ia produzir um filme em banda desenhada anti-islâmico, sobre a vida de Maomé. O filme iria mostrar, entre outros feitos, o Maomé entesuado pela menina de 9 anos com que casou. Os membros de um grupo de contacto muçulmano ameaçaram que iriam colocar todos os elementos desse projecto em tribunal se ele fosse realizado. Em consequência, Ehsan Jami foi atacado e espancado em sua própria casa por muçulmanos. Depois de mais este acto de violência e de censura, os muçulmanos "caíram" novamente na "religião da paz" até nova ofensa. É assim que se faz a jihad e é assim que nos tiram a liberdade e nos tranformam em dhimmis. É mais do que altura de os mandar f........ camelos.
7. Brigitte Bardot, está farta de ser multada e ameaçada de prisão por criticar a tortura halal dos animais. Por achar que a maneira como os muçulmanos matam os animais é desumana (é um facto) fazendo-os sofrer até expirarem, ela foi "constituída" como inimiga do islão, insultada, processada cinco vezes, tendo apanhado já pena de prisão suspensa dada por juízes franceses que assim a silenciaram. Da próxima vez que ela se rebelar contra o tratamento muçulmano-desumano dos animais terá pena de prisão efectiva. Já chegámos ao Egipto? Parece que sim.
                                                                     
8. Telenovelas Indianas, foram consideradas imorais e contrárias ao islão no Afeganistão e banidas.

9. A Fuga das Galinhas. Este filme de animação foi considerado conspiração e propaganda sionista pelas autoridades teocráticas fascistas do Irão. Talvez o Harry Potter, o Pokemon e a Coca-Cola sejam considerados, por estes paranóicos, as próximas conspirações judaicas.

10. Saving Private Ryan. Banido em numerosos países muçulmanos por ser considerado propaganda sionista . Cá para mim eles não gostaram foi de ver os nazis seus aliados a serem derrotados pelos americanos. Aliás os Bloquistas de Esquerda também não apreciaram o filme, concerteza pelos mesmos motivos.

Tuesday, April 13, 2010

Lista De Coisas Que Ofendem Os Muçulmanos (2)

FILMES e Artes Cénicas - Parte I

1. A Paixão de Cristo de Mel Gibson. Segundo o jornal Asia Today de 26/07/2004, o filme na Malásia só pode ser visto por cristãos e só em determinados cinemas. O filme também foi proibido de ser publicitado, quer na rádio e televisão, quer na imprensa ou em outdoors. Apartheid!
2. Il Mercanti di Pietri, filme italiano com Harvey Keitel, do realizador Renzo Martinelli. Dacia Valent, a palradora de serviço da Islamic Anti-Defamation League, um grupo de defesa do islão na Itália, afirmou em 27 de Setembro de 2006, que o filme tratava os muçulmanos como terroristas. O que significa que é obrigatório ver o dito. Numa conferência de imprensa o realizador disse que o filme foi feito com a intenção de alertar a opinião pública contra os multiculturalistas que justificam e apoiam tudo o que favoreça a abertura da Europa - "Todos os sinais que o mundo muçulmano perceba como fraqueza são explorados pelos muçulmanos para obterem vantagem sobre nós" – O realizador disse ainda que ia passar a andar armado para prevenir qualquer ataque de muçulmanos militantes e que a Europa colaboracionista pagará caro os seus erros. "A nossa civilização não pode dar sinais de fraqueza."
3. Submission, de Theo Van Gogh. O realizador  foi assassinado por um muçulmano marroquino.

4. Fanatismo, ou o Profeta Maomé, de Voltaire. O centro cultural de Saint Genis Pouli, em França organizou uma leitura desta peça de Voltaire com 265 anos de idade, que ajudou a Europa a rasgar a via em direcção ao secularismo. Manadas de muçulmanos activistas desceram à rua exigindo que a leitura da peça fosse proibida. O Presidente da Câmara, pelo contrário, pediu reforços á polícia para a protecção do teatro. Na noite da leitura, dezenas de muçulmanos incendiaram carros e caixotes do lixo. "Foi a noite mais excitante que tivémos por cá" afirmou o Presidente da Câmara, que por inacreditável que pareça, é socialista.
5. Rubber Duck Hostage Video. Uma brincadeira feita por estudantes da Universidade de Long Island com uma máquina de filmar baratusca e um patinho de plástico, valeu-lhes a expulsão da Universidade, devido á pressão de grupos muçulmanos que consideraram o video ofensivo. Tudo é ofensivo para estes merdas...
6. O anúncio radiofónico de um stand de venda de automóveis usados no Ohio, utilizava a palavra "jihad" no mercado automóvel americano e oferecia  "Fatwa Fridays", Fa(r)twa de Sexta-feira, com as vendedoras vestidas com "burqas" que iam oferecendo espadas de plástico às criancinhas que acompanhavam os pais. A CAIR conseguiu que esta campanha de promoção não fosse lançada. 
7. 300, filme baseado na resistência heróica dos espartanos nas Termópilas contra o imenso exército de Xerxes, foi considerado ofensivo pelos Iranianos e censurado.

8. O filme Islam v Islamists, foi proibido de ser exibido pelos produtores executivos da WETA uma cadeia de TV de Washington, por expôr a opinião de que os islâmicos estão a construir uma sociedade paralela, regulada pela sharia, no mundo Ocidental. O que é verdade.
9. Jihad, The Musical, provocou a fúria de muçulmanos que ameaçaram a Inglaterra com atentados terroristas. Apesar de tudo, foi levado á cena no Festival de Edimburgo, no Verão de 2007. Uma sátira ao terrorismo islâmico a peça foi considerada no entanto, mesmo pelos esquerdistas jornalistas do The Guardian, inofensivo.
10. True Lies, com Arnold Schwarzenegger e Jamie Lee Curtis, provocou desfiles irados de muçulmanos nas ruas das cidades americanas, por não se gostarem de ver ao espelho.
(Continua)

Lista de Coisas Que Ofendem Os Muçulmanos (1)


Edifícios:
1- Os muçulmanos acham ofensíva a loja da Apple de Nova Iorque, em plena 5ª Avenida, entre a rua 58 e 59. Os tipos mostram-se esperançados que os muçulmanos de todo o mundo sejam capazes de acabar com o projecto.


2. Salões de bilhar e cafés. Os muçulmanos consideram estas salas um terreno fértil para a criação de crimes sociais e étnicos. No Irão a polícia fez rusgas e encerrou inúmeros cafés com o pretexto de serem  provocadores dos vícios Ocidentais.
3. Cinemas. O mais notório exemplo deste ódio às salas de cinema, também consideradas não conforme com as leis de Alá, foi o incêndio, fogo posto ao cinema Abadan no Irão com 540 pessoas no seu interior pelos fanáticos islâmicos seguidores de Khomeini.
4. Torre Eiffel. Um conversa em ondas curtas que expôs um plano para um ataque com aviões á Torre de Paris, foi interceptada por controladores aéreos portugueses que avisaram a Inteligência francesa, tendo a operação sido abortada.
5. Budas de Bamiyan com 53 m de altura eram uma relíquia do Afeganistão pré-islâmico, foram destruídos pelos Taliban a tiro de canhão.
6. Memorial de Beslan, provocou a ira de um grupo de clérigos muçulmanos que também querem um memorial em Beslan, pelos terroristas mortos em nome de Alá.
7. Campas de Josué e Caleb, perto de Ariel em Samaria foram vandalizadas por palestinianos, tendo defecado em cima das campas e escreveram palavras de ordem pró-palestinianas, anti-semitas e nazis.
8. Saracen Head Cafe, um pub histórico inglês com 300 anos ofende os muçulmanos e obrigou os donos a mudar o nome para Saint Nicolas Place, tendo-se assim mandado ás malvas 300 anos de História.
9. Mecca Night Club em Kiev. O  Mufti Sheikh Ahmed Tamim da Ucrânia afirmou que o nome era um insulto para o Islão. Os donos da discoteca mudaram o nome para NoName. Esperemos que os adeptos do Benfica também conhecidos por mouros, não se ofendam também.
10. Breslin Bar Restaurante, em Nova Iorque situado no Ace Hotel, na Broadway com a rua 29, ofende os muçulmanos porque simplesmente vende alcool. Existindo uma mesquita por perto, os muçulmanos nem querem ver gente ébria nas imediações.
O sr.Friedman dono do Hotel afirmou que os lideres da mesquita reuniram com ele, pedindo-lhe que mudasse o bar de localização tendo recebido como resposta uma risota .
O muçulmano por sua vez retorquiu: 'Oh, you think that's funny?'
Friedman: 'Yeah, that is funny, that is really funny, because we're not going to move the bar just because you discovered we're serving booze.' Can you name one restaurant in New York that doesn't serve booze?"
'This is the United States of America and we'll do whatever the f**k we want.'"
Ora Belíssima Resposta!

Monday, April 12, 2010

Última Hora: O Islão "Salvou" A Civilização.


Terá lugar em Londres amanhã dia 13, a segunda edição das Conferências de Arte e Ciências Sociais, com a participação do distinto académico especialista em Assuntos Islâmicos, Filosofia Antiga e Medieval, do King´s College de Londres,  Peter Adamson, intituladas "How the Muslims Saved Civilization: the Reception of Greek Learning in Arabic".

A conferência no auditório de Hollis E. Cornell em Goldwin Smith Hall com entrada livre.
O Sr. Dr. Adamson anda por aí  há uns anos a vender a retalho  a ideia que a cultura islâmica foi outrora um farol de sabedoria e de progresso iluminado - um mito comum que encoraja os não muçulmanos ao sossego e relaxe e, sendo este o objectivo, a amarem a jihad ou pelo menos não se preocuparem demasiado com os malabarismos jihadistas com que os muçulmanos quotidianamente nos entretêm aqui na Europa.
Os clamores de alguns académicos acerca da grandeza e das grandes conquistas tecnológicas e científicas conseguidas pelo Islão num passado, tão glorioso quanto mítico, não passam para além da transparência da motivação puramente apologética. Vamos então aos factos:
1- O astrolábio, foi criado muitos muitos anos antes do Maomé ter nascido. No entanto, o revisionismo histórico "oferece-o" ao Islão como civilização inventora daquele instrumento naval antigo, usado para medir a altura dos astros acima do horizonte.
2-O número zero, que foi erradamente atribuido ao muçulmanos, e hoje sabe-se que a chamada numeração árabe, não teve origem na Arábia, mas na India pré-islâmica.
3- A filosofia de Aristóteles foi preservada inicialmente em arábico, de maneira alguma pelos muçulmanos, mas pelos cristãos, tal como por exemplo, o padre que viveu no séc.V, Probus de Antióquia, que introduziu Aristóteles no mundo falante arábico. Outro cristão, Huneyn ibn-Ishaq (809-873), traduziu muitos trabalhos de Aristóteles, Galeno, Platão e Hippocrates para língua siríaca. O seu filho traduziu estes trabalhos para arábico. O cristão sírio Yahya ibn 'Adi (893-974) também traduziu obras filosóficas para árabe e escreveu ele próprio A Reforma da Moral. Um dos seus estudantes, outro cristão chamado Abu 'Ali 'Isa ibn Zur'a (943-1008), também traduziu Aristóteles de siríaco para árabe.
4- Medicina: O primeiro tratado médico escrito em árabe foi escrito por um padre cristão e foi traduzido para árabe por um médico judeu em 683. O primeiro hospital construído em Bagdad durante o califado Abasida - não o foi por qualquer muçulmano, mas por um Cristão nestorium. Uma escola médica pioneira foi construída em Gundeshapur na Pérsia, por cristãos assírios.
A perspectiva que aqui deixo, é a de que os grandes feitos alcançados pela cultura islâmica são simplesmente exagerados por questões políticas e por razões apologéticas. Que esta história "gloriosa" seja exagerada em sites jihadistas é uma coisa, mas que os académicos embarquem nesta treta, é outra. E esta outra coisa daqueles que têm obrigação, de melhor do que todos os outros, saberem que estão a falsear voluntariamente a história, tem um nome - Dhimmitude.
De resto, o presente ilustra o passado. É uma questão de verificar o que acontece nos actuais Emirados Árabes Unidos. Toda aquele esplendor de arquitectura Hi-Tech nada tem de cultura islâmica. Os arquitectos e engenheiros são Ocidentais ou asiáticos, os materiais também. As lojas luxuosas são de marcas ocidentais ou japonesas, bem como os automóveis que lá circulam e os aviões que lá aterram. Até os cozinheiros dos caríssimos restaurantes e hotéis, são ocidentais ou asiáticos. Aquela religião gerou uma civilização que pouco tem de bom a oferecer ao mundo. Mas de fanatismo, repressão, tirania, violação dos direitos humanos, perseguição de minorias, expansionismo, corrupção, conquistas, escravatura, enfim de maldade, quer no passado quer no presente é bastante criativa.
E hoje, não há ameaça mais poderosa à Civilização, do que essa empedernida religião-política fascista que se chama Islão.

Saturday, April 10, 2010

Julius Malema, Um Hitler Preto.

E você está preparado para ser nebulizado com Zyklon B na África do Sul?

Há uns dias, o sul-africano Julius "Mata Brancos" Malema durante uma conferência de imprensa perdeu a compustura, se algum dia a teve, e desatou a insultar  um repórter da BBC, chamando-lhe" bastard and a bloody agent" e correndo com o jornalista da sala, histérico. Esta cena malaica, teve grande impacto naquele país africano. Vídeo
O incidente também incendiou o Facebook, bem como os blogs por todo o mundo. O pequeno Hitler preto, também tem um site na Internet, mais concretamente uma conta no FaceBook, onde destila todo o seu ódio e animalidade visceral, para gozo dos supremacistas negros, bem como para os idiotas úteis da esquerda. Lá podemos ler coisas dignificantes como: "Rape all the white whore bitches and burn all their children". Esta vale a pena traduzir. "Violem todas as putas brancas e queimem os seus filhos". Qualquer cara pálida em qualquer canto do mundo que ousasse pensar alto qualquer coisa como, violem as negras e a usem os filhos como combustível para os dias frios, estava imediatamente trucidado. Desde o SOS racismo, (por falar neles, onde é que se meteram?), às ONGs, aos jornalistas, aos deputados, aos juízes, artistas do music-hall, aos movimentos gays, aos paranóicos verdes, aos amigos da pássarada e dos cetáceos, enfim toda a nata "bem pensante" mais o Baltazar Garzon,  iria  desatar aos coices e a urrar : Agarra que é racista-fascista-xenófobo-nazi-militarista-genocida-homofóbico-direitista-SS-poluidor-assassino-inimigodahumanidade-etc. O mais provável era ser preso. Mas como se trata de um verdadeiro preto, assobiar lindos trinados primaveris, dá sempre jeito.
Julius Esfola Brancos Malema, regressou de uma recente trip ao Zimbabwe onde andou por lá a "estudar" os efeitos das "nacionalizações" naquele país. A viagem confirmou tudo o que Malema já pensava acerca do tratamento que os brancos merecem ter em África. Assim que regressou, a primeira coisa que se lhe ouviu foi: "A reforma agrária no Zimbabwe é corajosa e militante" e imediatamente passou ao ataque, porque o tipo não vai em futebóis: " Precisamos de nacionalizar as terras e matar os agricultores boers", e ainda, " Temos que nacionalizar as minas e expulsar os brancos".
Malema recebeu apoio imediato de outros dementes, (talvez venha a receber no futuro, o Nobel da Paz) não dos esquerdistas, mas dos seus aliados, os jihadistas que, por onde pára o ódio e o mal, aparecem como moscas. Um tal Ahmed El Saud @ Chris, afirmou que tratava da coisa, isto é da saúde aos brancos, em termos bastante pormenorizados, até de algum modo contabilisticos, que nos fazem lembrar outras contabilidades minuciosas que ocorreram há 60 anos, lá para os lados de Birkenau. O atrás referido Ahmerda El Saud escreveu num site jihadista: "we will do the job for your people. We will kill the whites at a agreed price per head. We deliver all heads and expect raw cash, gold or diamonds as payment. Baby heads are same as grown up's in price. We will give you instructions on how to arrange the payment and the terms and conditions. Do not worry now. We provide also body guards if you are in need. Just speak out. We can bring in planes and do it with poison spray but your people must be out of the area." Esta também vale a pena traduzir:
" Nós fazemos o trabalho por vocês. Nós mataremos os brancos a um preço combinado por cabeça. Nós entregaremos as cabeças e receberemos o acordado pagamento, em cash, ouro ou diamantes. As cabeças dos bebés são ao mesmo preço das dos adultos. Nós dar-vos-emos instruções acerca dos pagamentos, os termos e as condições. Agora não se preocupem. Nós também podemos fornecer guarda-costas se precisarem. É só pedirem.  Podemos utilizar aviões e espalhar veneno, mas a vossa gente tem que sair da área".
Este macaco racista é um tipo perigoso. Corre já no Facebook uma petição para o correrem da juventude do ANC,
Parece que vamos ter um Campeonato do Mundo de Futebol animado.

Friday, April 9, 2010

Noiva Criança de 5 Anos Morre de Hemorragia Após Violação Pelo Marido Muçulmano.

Iémen, 8 de Abril.
Existem diferentes tipos de animais na Terra - alguns são bípedes, locomovem-se num par de patas - e a esmagadora maioria dos outros  animais (mamíferos entenda-se) são quadrúpedes.  Mas aquele que casa com uma menina de 5 anos, e lhe tira a vida por a ter violado incessantemente, causando-lhe uma hemorragia mortal, não é um animal, é um monstro.  Sexo com crianças é pedofilia não interessa em que país, civilização ou em que religião. É crime e deve ser punido. E bem.
As mulheres muçulmanas e os seus fãs antropólogos e sociólogos ocidentais, sempre tão prontos a compreender e a desculpar "cientificamente" os crimes de outras etnias e religiões, também devem ser fortemente criticados.
O governo do Iémen, propôs uma lei para banir o casamento de crianças, tradição muçulmana que vem de longe, (vem mesmo da origem do islamismo pois o próprio Maomé era pedófilo, tendo casado com,pelo menos, uma criança de 9 anos), mas viu-se confrontado com a resistência das mulheres iemnitas, que desfilaram pelas ruas protestando e agitando sobre as suas cabeças cobertas, o Corão. Quer se escondam debaixo do Corão ou não, os pedófilos no países muçulmanos (há milhões) têm que começar a ser julgados pela tal comunidade internacional, seja lá o que isso for. Mais, (isto está a começar a ser monótono!), a imprensa tão preocupada com a pedofilia na Igreja Católica, fez vista grossa a este, e muitos outros casos semelhantes de pedofilia assassina muçulmana.  É de desconfiar das boas intenções da rapaziada  da  imprensa portuguesa, sempre tão "emocionados em directo" com as tragédias do mundo e com as "vítimas" de Israel, para mais tarde ficarem lindos de politicamente correcto nas auto-promoções garantidas  pelos clips dignos de verdadeiros artistas, que vão para o ar antes do telejornal, quando vêm a pedofilia em função da geografia e da religião, entre outras cousas, como seja a mutilação genital, que pelos vistos se pratica com grande relaxe em Portugal nos meios imigrantes Palopses, ou se quiserem, dos novos portugueses feitos ideologicamente à pressão.

Wednesday, April 7, 2010

Os Submarinos.


  Este é um dos 2 submarinos encomendados

Hussein Obama deu um grande sinal de fraqueza aos nossos inimigos.  Obama está a renunciar à defesa nuclear na exacta altura em que os mullahs iranianos estão a preparar um arsenal atómico, com o confessado e ostensivo objectivo de instaurarem um califado universal. Pelo menos é o que eles dizem. Hussein Obama está a deixar a América e o Ocidente a navegar em águas hostís.
Se pensarmos um pouco na História da II Guerra Mundial, facilmente concluiremos que as democracias estavam praticamente desarmadas e impreparadas em 1939,  para fazer frente à maquina de guerra nazi. O risco foi grande. Valeram-nos os Spitfires, os Hurricanes e uma táctica desastrosa da Luftwaffe de Herman Goering, que impediram que Hitler triunfasse sobre o Reino Unido. E se o tivesse conseguido, finito... talvez o império dos mil anos fosse hoje uma demoníaca realidade.  Só no final de 1942 é que os americanos estiveram militarmente  em condições de oferecer resistência, isto é, um ano após Pearl Harbour. De 1939 a 1942 os nazis na Europa ocupada iniciaram o genocídio dos judeus, e a perseguição a outras minorias étnicas e políticas com grande descontração.  Países perderam a independência e os seus povos foram escravizados. O que se perfila no horizonte com o Islão, é equivalente aos anos anteriores à II Guerra Mundial. Políticos fracos no poder nas democracias, políticas de apaziguamento suicídas... e Chamberlains há por aí a pontapé. O resultado não vai ser nada bom.
Obama tem nos seus genes de esquerdista a florzinha mal cheirosa do pacifismo, parecendo acreditar que com conversa fiada  mesmo os maiores rúfias se tornarão gente séria na cena política internacional. Deste mal também padecem os socialistas cá do rectângulo a começar por Mário Soares que queria ter uma conversinha de vão de escada com os al-qaidas.
Neste politica e economicamente mal frequentado país, neste país da merdusca socialista,  a mesma modinha pacifista pegou de novo, se bem que limitada ao país real, isto é à televisão, diga-se a bem da verdade. Com mais uma trapalhada... agora são submarinos!  Ouvimos por aí nesses 1300  programas semanais de vaidade e discussão política da TV portuguesa, quando temos pachorra para os aturar, uma gentalha engravatada atirar pela  boca fora postas de pescada sobre submarinos, como se soubessem alguma coisa de Geo-estratégia.
A quantidade de estupidez concentrada é tão grande que se cairem ao mar irão mais depressa ao fundo do que qualquer submarino atingido por mísseis ou cargas de profundidade. Isto se a estupidez tiver peso.
Um dos palavrosos, foi um tal Não Sei Quem Nazaré, um tipo do Benfica que acha que também sabe umas larachas de economia, ou vice versa, que disse que o TGV era uma necessidade estratégica para o país enquanto que os submarinos não servem para nada..."só se for para observar a sardinha", concluiu ele com um sorriso pepsodente altamente mediático, merecedor de um arenque fumado na tromba, assim que esta telegenética boutade foi disparada em direcção aos ouvidos do abovinado share. Seria cansativo estar aqui a inumerar a quantidade de abéculas entendidas que desancaram nos enjeitados submarinos, embora seja sempre bom sublinhar, que o repelente Miguel Sousa Tavares também acha que não precisamos de submarinos para nada. Bem este tipo já há muito tempo que merece, muito mais do que um simples arenque, talvez mesmo um cardume de bacalhaus secos em cima, para ver se o homem se dedica mais tempo às literaturas de trazer por casa de banho, ou se imigra para a televisão japonesa onde têm por lá uns ricos passatempos de tiro ao alvo.
Para que é que servem afinal os submarinos de guerra? Que missões desempenham? Será que o Estado português está a gastar dinheiro só para os almirantes andarem a ver passar navios submersíveis? Parece-me que não.  Deixo aqui algumas missões que os submarinos cumprem:
1. Assegurar uma capacidade de dissuasão militar autónoma nacional, constituindo-se, assim, como vectores militares estratégicos do poder naval.
2. Realizar missões no âmbito do emprego integrado de capacidades das forças navais e que incluem a realização de operações de protecção e apoio a forças navais e anfíbias, combinadas ou conjuntas, incluindo vigilância, reconhecimento, recolha de informações de forma discreta em zonas hostis, interdição de área, minagem, projecção de força (operações especiais e destruição de alvos em terra) e de manutenção de paz.
3.Contra-terrorismo, combate ao narcotráfico e outros actos de crime organizado no mar, no contexto alargado de segurança e defesa, de forma coordenada com outros organismos do Estado e Internacionais.
4. Possibilidade de intervenção sem exigir supremacia.
5. Defesa avançada.
6. Tradição submarinista a defender. Portugal tem uma escola de excelência prestigiada no âmbito da NATO na utilização desta arma furtiva essencial.
Para além disso Portugal tem muitas milhas de mar. Não me parece que 2 submarinos chegam para as ameaças do futuro próximo. Não nos podemos esquecer que Portugal só tem 3 vasos de guerra, as fragatas Meko, que são as únicas de uma qualidade operacional superior. Parece-me que só com 5 vasos de guerra a sério (2 submarinos e 3 fragatas) a Marinha de Guerra Portuguesa ir-se-á confrontar com sérias dificuldades no caótico século XXI que se anuncia.
Neuromante sempre achou que em democracia até os burros têm direito á palavra. Agora que sejam sempre os mesmos asnos a deitar faladura nos channeis nacionais, é que já chateia. Como diz o Zé da  Brilhantina dos futebóis: "Mas afinal que raio de democracia é esta?"

                                                                                         



O velhinho Albacora                                                                                                             

Tuesday, April 6, 2010

Louça das Caldas Para A Resolução Contra A Islamofobia.



GENEVA — 25 de Março 
O Conselho dos Direitos Humanos aprovou à tangente, uma resolução que condena a islamofobia, incluindo a proibição da construção de minaretes na Suiça, apesar das reservas dos estados mais importantes do mundo. A resolução, que foi criticada pelos Estados Unidos como um "instrumento de divisão", condena fortemente a proibição da construção de minaretes pela Suiça entre outras medidas "descriminatórias recentes." Tais medidas, afirma a resolução "são manifestações de islamofobia que são contraditórias com as garantias dos direitos humanos no que concerne á liberdade religiosa." Tais actos promovem "a descriminação, o extremismo levando á polarização e fragmentação com consequências não previsíveis".
Vinte países votaram a favor da resolução intitulada "Combatendo a Difamação Religiosa", 17 votaram contra e 8 abstiveram-se. A resolução também "expressa profunda preocupação...que o Islão seja frequentemente e erradamente associado com a violação dos direitos humanos e com o terrorismo." Isto até dá vontade de rir, de tão óbvio que é a pressão feita nesta resolução para que a islamização prossiga no Ocidente. Os senhores devem julgar que somos parvos. É um facto, que só um alienado não vê, que todos os regimes onde o Islão está implantado são policiais, ditatoriais, corruptos e onde os direitos humanos são espezinhados com grande à vontade. Estados onde o islão reina sobre todas as outras  religiões que são completamente reprimidas. Desde Marrocos à Indonésia. Quanto ao terrorismo, bem, se nem todos os muçulmanos são terroristas, todos os terroristas são muçulmanos. Os senhores andam desesperados porque sentem que o Ocidente está acordar e aquilo que julgavam ser um "passeio" na islamização, da Europa em particular, está a tornar-se a cada dia que passa, mais difícil, por ser evidente. A resolução também critica "as leis e medidas admnistrativas especificamente formuladas para controlar as minorias muçulmanas, estigmantizando-os e legitimizando a discriminação". Ooops! O que os tipos querem é que lhes ofereçamos os nossos países, a nossa cultura e civilização numa bandeja de prata. Mas o que nós devemos devemos oferecer é mesmo um serviço das Caldas.
O embaixador do Paquistão Zamir Akram que apresentou a resolução em nome da Organização da Conferência Islâmica (OCI) disse que as referências específicas ao Islão, a única religião mencionada no texto "reflete a infeliz situação que se vive nalgumas partes do Mundo onde os muçulmanos são alvo". Claro que o senhor não enxerga a perseguição sistemática aos Cristãos Coptas no Egipto, a perseguição aos Budistas em pleno Sul da Tailândia budista, onde os muçulmanos são a maioria da população, não vê as perseguições ao cristãos e animistas na Nigéria e no Sudão, etc. Por tal fingida cegueira saia mais uma louça das Caldas para o senhor Zamir. Uma caneca "daquelas" mesmo com a cara do Dr. Mário Soares, fica sempre bem...
O senhor Babacar Ba, representante da OCI em Genebra, também afirmou aos reporters que a resolução é uma "maneira de reafirmar mais uma vez a nossa condenação pela decisão da Suíça ter banido os minaretes". Nos ficamos aBaBaBanadados com a latósia do senhor Babacar Ba na ingerência desavergonhada nos assuntos internos de um Estado soberano como é a Suiça. Como é que nós dhimmis Europeus, que para eles já somos cidadãos de segunda e devíamos corformarmo-nos de vez com esse estatuto, temos ainda a coragem da disfaçatez em criticarmos, atacarmos, banirmos simbolos de tão "superior" religião e civilização?
Ora o senhor Bla Bla Bla ainda não viu nada!  Mas talvez um Santo António da Caldas também não fosse má ideia para o Senhô Ba mostrar á familia. O senhor BlanBlan Ba não satisfeito da verborreia sulfúrica que o atingiu desde que a Suiça mandou o respeitinho pelos muçulmanos ás urtigas, continuou: "Esta iniciativa respeita à liberdade religiosa e ao direito que os muçulmanos têm em construir os seus locais de oração onde desejarem". Isto é que era bom senhor Tarantantan Ba! Na vossa terrinha podem fazer o esterco que quiserem, mas nos países dos outros, só têm é que obedecer ás leis e ponto final parágrafo.
Entretanto o México pôs a boca no trombone e votou contra a resolução com o seguinte argumento: "Esta resolução toca princípios políticos e sociais que são contra a liberdade de expressão e contra o secularismo"
A União Europeia também disse que o conceito de difamação religiosas não deve cair no âmbito dos direitos humanos porque colide com a liberdade de expressão, enquanto os Estados Unidos pautavam também pela mesma ideia, dizendo que a liberdade de expressão ficava em risco com esta resolução.
Eileen Donahoe, embaixador americano na ONU, também criticou a resolução por ser " uma via pouco eficaz no que respeita à descriminação. Não acreditamos que proibindo a livre expressão seja uma maneira de promover a tolerância, porque nós continuamos a ver que o conceito de difamação religiosa é usado como argumento para a censura, criminalização, assaltos violentos, morte de minorias políticas, raciais e religiosas nalgumas zonas do Mundo. Contrariamente às intenções da resolução, há governos que abusam dos direitos individuais em nome desta resolução e em nome do Conselho dos Direitos Humanos."
Como um dos leitores do Neuromante disse: "tudo no islão são insultos e difamações ao próprio islão, a começar pela própria palavra "allah". Se querem proibir a islamofobia têm que proibir todo o islão.

Monday, April 5, 2010

Nova Vaga De Terrorismo Islâmico


The West must destroy Islam before Islam destroy the West

O Islão ataca de novo. Melhor, o Islão nunca deixou de atacar. Estes são só os últimos avanços.
A 29 de Março atacou no metro de Moscovo com duas explosões provocadas por mulheres terroristas bombistas, não sei se virgens, mas suicídas de certeza. O jornal Público chamou-lhes carinhosamente "viúvas negras" e tratou de as compreender. Pretenderem que nós leitores ficássemos ao corrente das viduscas pobres e trágicas daquelas alminhas "caridosas". Contaram-nos a história romanceada da famelga , quase como uma fotonovela e no fim, os leitores mais sentimentais, concerteza que verteram sua lágrima ao saberem que o marido de uma das "aranhas" de 15 anos, tinha sido morto em confrontos com militares russos. O Público trata bastante bem dos "fait-divers" mas o importante das questões, relativamente á islamização passa ao lado. Das duas uma, ou são pagos pela Arábia Saudita ou o Belmiro de Azevedo pretende ser um futuro califa cá da terrinha.
O facto do marido de uma das viúvas negras ser um dos principais terroristas da zona não foi dito. Relativamente ao Público, começo a dar razão ao Primeiro-Ministro. O jornalismo que está a fazer é de sarjeta. Qualquer jornal digno desse nome tratava de informar os seus leitores pagantes do que é importante. E importante foram as declarações do líder terrorista islâmico Doku Umarov ao reinvidicar os atentados no dia 31 de Dezembro. O Doku, (não tem nada a ver com o personagem do mesmo nome da Guerra das Estrelas, excepto pertenceram ao mesmo lado da Força)  autoproclamado chefe do por ele imaginado "Emirado do Cáucaso", descreveu os ataques assassinos contra civis indefesos, como operações especiais com a intenção "eliminar infiéis e desgastar o Serviço Federal de Segurança da Rússia". Portanto para o Público não lhes interessa que gente sem culpa nenhuma seja massacrada só porque não são muçulmanos; não lhes interessa que o Cáucaso esteja a ser alvo da conquista  da jihad muçulmana. Não lhes interessa para nada, aliás até devem gostar. Eu não compro o Público, mas na minha actividade profissional é obrigatório ler os jornais diários.
A 4 de Abril o Islão atacou um comboio de carga entre Baku e Moscovo. Uma primeira explosão fez parar o comboio e uma segunda minutos mais tarde para atigir os trabalhadores que tratavam da via destruída.
Hoje, dia 5 de Abril, mais um ataque suicída, matou dois polícias e feriu gravemente dois outros no Norte do Cáucaso. Segundo a polícia local, o bombista suicída fez explodir a bomba quando foi mandado parar pelos agentes de segurança, junto ao portão da estação da polícia na cidade de Karabulak. Segundo a mesma fonte, uma segunda explosão ocorreu alguns minutos depois, mas ninguém foi morto ou ferido.
Ainda hoje, mais um ataque do Islão. Desta vez no Paquistão, em Peshawar, no consulado dos Estados Unidos da América. A parte da frente do edifício ficou totalmente destruída e segundo os últimos números comunicados, pelo menos 39 pessoas morreram.



Saturday, April 3, 2010

Esquerdista Benno Barnard Boicotado Por Muçulmanos.

Bem vindos ao futuro, noticia o Gates of Vienna.
Benno Barnard ia dar uma conferência sobre as diferenças entre o Islão e a Cristandade na Universidade de Antuérpia, e foi impedido de falar por uma multidão de muçulmanos que entre outras coisas uivavam o grito de guerra, Alahu (Sn)akbar.
“This was the best lecture I ever could have given”, afirmava desgostoso o esquerdista  depois de encerrado o meeting por falta de decoro civilizacional dos muçulmanos. Mas o mais importante foi o que  Benno Barnard  afirmou acerca de Filip Dewinter, conhecido activista anti-islamização da Europa.
“I have called Filip Dewinter a fascist for twenty years. I was wrong. The fascists are with the Muslims. Dewinter thus had always been right. And this is from an old leftist boy such as myself.”
Durante 20 anos chamei racista a Filip Dewinter. Eu estava errado. Os fascistas estão com os muçulmanos. Dewinter esteve sempre certo. E isto é dito por um velho rapaz esquerdista como eu.



Fascismo islâmico em acção na Universidade de Antuérpia.

Benno Barnard é poeta e ensaísta. Nasceu em Amsterdão mas vive desde 1979 na Bélgica. Recebeu alguns prémios literários importantes.
A confiança do Islão militante na Europa é tal que os seus lacaios são já capazes de atacar os seus melhores aliados: os idiotas úteis da esquerda como é o caso de Benno Barnard. É altura para que as elites intelectuais de esquerda provem do veneno da intolerância do fascismo islâmico que tanto ajudaram a proliferar.
Esperemos, pela saúde dos próprios esquerdistas, que a tradição já não seja o que era, isto é, que os esquerdistas estejam menos burros do que o costume. Convém talvez lembrar que as primeiras vítimas do regime fascista do Irão foram exactamente aqueles que ajudaram os islâmicos a conquistar o poder:
os comunistas e os esquerdistas em geral.

Thursday, April 1, 2010

Artistas Franceses Fazem-se Ouvir

Finalmente alguns músicos franceses começam a juntar-se à revolução anti-islão em curso na Europa. Reconhecem finalmente quem são os verdadeiros camaradas e amigos. Reconhecem por fim quem está pela liberdade de expressão e quem está contra e quem são os nossos inimigos. Esta é um grande peça musical digna de qualquer canto de protesto dos extintos anos setenta.
Resistência
Por uma Europa livre do fascismo islâmico.
Pela liberdade.