Tuesday, March 15, 2011

Comissão Europeia Apocalíptica.



Hulk, jogador do FC do Porto, que jogou durante algumas épocas no Japão, tirou a camisola do Dragão, mostrando um mensagem de apoio e carinho pelo povo japonês,a pós ter marcado o segundo golo da vitória azul e branca. Apesar desta profunda demonstração de solidariedade, Hulk levou um cartão amarelo. Grande Hulk, grande Porto!

A Comissão Europeia, órgão não eleito, grande responsável pelo apocalipse civilizacional da Europa, promotora de décadas de políticas de abertura e facilitação da islamização do continente, vem agora pela boca do Comissário da Energia, considerar que a situação no Japão é apocalíptica. Que é potencialmente desastrosa, não restam dúvidas, mas daí a considerar, já, uma situação, que nem sequer se aproxima de Chernobyl, como apocalíptica é, no mínimo, alarmista. Segundo as últimas notícias, o nível de água nos reactores está a subir, o que é um sinal positivo para o arrefecimento dos ditos. Apesar das radiações teram chegado a Tóquio, e o reactor 4 continuar em chamas, o nível de radiação ainda está longe de ser mortal num raio superior a 20 km da central nuclear.

O que agora os japoneses menos precisam, é de incendiários com o pé a descair pró Green Peace, como o senhor Comissário que mais uma vez, sublinho, ninguém o elegeu para mandar cá para fora palpites e postas de pescada.

Como os americanos dizem: Mr. Commissary! Shut the Fuck Up.

4 comments:

lolipop said...

De facto, do que os Japoneses menos precisam agora é de sensacionalismos e de "radiation fobia".
Venham antes exemplos de apoio como o do Hulk!!
JAPAN, GAMBATTE!

Abraços

FireHead said...

De apocalíptico está a figura do dragão, que biblicamente significa a "antiga serpente, que é o Demónio, Satanás" (precisamente do livro do Apocalipse, 12:9). Um símbolo maléfico das culturas pagãs desde o Ocidente até ao Oriente.
O dragão do Porto, "criado" por Pinto da Costa, dura e dura e dura. Nem São Jorge, Super Mário ou Indiana Jones o conseguem travar. Talvez só quando o Pinto da Costa falecer mesmo...
Em relação ao Japão, também já há quem fale de apocalipse. Sinceramente não sei que futuro terá o país de agora em diante. Os sismos vão-se sucedendo, a possibilidade duma crise nuclear está latente e o receio é enorme. O Japão é o país mais envelhecido do mundo e agora com esse tão elevado número de mortos e de desaparecidos...

rui mig said...

Olá FireHead:

O dragão não é forçosamente um símbolo do mal, especialmente no Extremo-Oriente.
Relativamente ao Pinto da Costa não comento porque não sou adepto de football. Na verdade o meu desporto colectivo preferido é o Rugby.
Eu conheço bem o Japão e sei do que os japoneses são capazes. Vão se erguer desta tragédia mais depressa do que supomos por cá no Ocidente. Espero eu.

Um abraço.

FireHead said...

Amigo, eu sou do Oriente (Macau) e sei muito bem o que representa o dragão. É precisamente o símbolo da cultura pagã chinesa apesar de ser descrito como um ser virtuoso e forte.
Pratico artes marciais e não gosto mesmo nada da parte que diz respeito ao dragão. Ao invés, gosto imenso do tigre. Os dois fazem o equilíbrio, o corpo e a mente. Pelo menos o tigre existe, ao contrário do dragão.
Não é por eu ser benfiquista que não gosto do dragão. É por motivos religiosos mesmo.
É engraçado seres adepto do râguebi e não do futebol. Engraçado e raro.
Também não duvido que o Japão consiga dar a volta... pelo menos por enquanto. É que as coisas mudaram, ainda que estatisticamente falando por este andar o último japonês só morrerá depois do ano 3000. Resta saber que Japão teremos.