Friday, December 31, 2010

Gerações

O artigo de opinião de Helena Matos que ontem saiu no Público, a meu ver, é dos melhores artigos do ano de 2010. Bullseye, isto é na mouche! Ou quase. Eu distinguiria duas situações:

Primeiro, geração dos anos 60 americana foi diferente da europeia. Foi bastante mais produtiva e fizeram algo para bem da humanidade. Os Neo-Cons vêm desta geração, por exemplo. De facto, o que ali se passou, foi uma revolução de mentalidades, que correu bem porque o lirismo esquerdisto-pacifista degenerou, e os hippies, freaks e outros da contra-cultura do LSD, deram em bons criativos em diversas áreas, desde a informática até à conquista do espaço. Isto de uma maneira geral, é claro.

Por cá na Europa, viraram-se para o maoismo, para o anarquismo e para o terrorismo, do tipo Brigadas Vermelhas ou Baader-Meinhof,  inspirados por ideologias do Séc.XIX. Os moderados, entretanto, passaram a viver do e para o “estado social” tentacular, mafioso e degenerativo da economia e da sociedade, como Helena Matos bem o caracteriza.

Por outro lado, quanto a mim, a geração mais perniciosa é a pós-punk, aqueles que não ouvem nada antes dos Joy Division. Estes saudosistas-invejosos do PREC, andavam de fraldas e chupeta quando o 25 de Abril e eventos seguintes ocorreram. Vendendo a alma ao diabo, dando anos de vida para terem vivido o Verão quente de 75, são estes sobretudo, pelo menos a maioria, que alimentam partidos burguesitos e extremistas como o Bloco de esquerda, na esperança miraculosa de viverem aquilo que lhes passou ao lado. No fundo ainda andam de bibe só que agora em vez do Pato Donald na fronha têm uma estrela vermelha estampada.

Wednesday, December 29, 2010

M1A1 No Afeganistão.

As forças americanas estacionadas no Afeganistão vão colocar no terreno os tanques M1A1 Abrams na província de Helmand, fornecendo maior capacidade de fogo ao US Marine Corps no combate aos terroristas islâmicos. O Major General Richard P Mills que dirige o comando Sudoeste da International Assistance Force (ISAF), afirmou que aquela província é uma boa zona para a inclusão de tanques no campo de batalha. A introdução dos M1A1 no Inverno gera uma vantagem superior de fogo devido às suas capacidades ópticas de longo alcance, podendo atingir o inimigo a grandes distâncias.
Noutras noticias: Os dissidentes norte-coreanos avisaram que o regime da Coreia do Norte está a desenvolver minas e torpedos nucleares ameaçando as bases navais sul-coreanas e japonesas, bem como os porta-aviões americanos. As minas nucleares não requerem grande tecnologia e por isso podem ser fabricadas imediatamente.
Na Alemanha, o Bundesamt fur Wehrtechnik und Beschaffung, qualquer coisa como, Departamento Federal de Tecnologia de Defesa, entregou ao exército alemão os primeiros dois novos IFV (Infantry Fighting Vehicles) chamados Puma (em baixo). Estes novos IFV vão substituir os velhinhos Marder 1 IFV que entraram ao serviço em 1971.
Os alemães, bem como os japoneses, que só possuiam forças defensivas de poder muito discreto, estão, apesar dos anúncios pomposos nos cortes de orçamento na defesa, a modernizar as suas forças armadas em todos os segmentos... e os inimigos estão bem identificados.
Entretanto Israel procura expandir as suas ligações militares á Grécia devido ao rift com a Turquia gerado pela ascenção do islamismo ao poder na Turquia. Uma delegação israelita de alto nível, constituída  pelo Ministro da Defesa e funcionários,  viajaram recentemente para a Grécia, no sentido de discutirem um negócio com as forças armadas gregas, envolvendo o upgrade das esquadrilhas de F-16 e a possível compra de um sistema de radar fabricado pela Israel Aerospace Industries e pela Rafael Advanced Defence Systems. Devido às dificuldades económicas a Grécia poderá pagar estas aquisições no domínio militar em prestações e durante diversos anos.
A velha máxima que diz que "o inimigo do meu inimigo meu amigo é" ainda é válida e na minha opinião a Turquia devia ser pura e simplesmente expulsa da NATO, pois não é possivel, creio eu, que um membro desta organização  mantenha um jogo diplomático-militar duplo com o Irão, o maior inimigo do momento da NATO e da paz no Médio-Oriente.

Uma Mentira Perigosa

Via Gates Of Vienna

"O único problema com o fundamentalismo islâmico são os fundamentos do islão"
Neste clip podemos ver o proeminiente activista ateu Sam Harris, a referir que as religiões não são todas a mesma coisa. Ele explica exactamente porque é que o islamismo fundamentalista é inerentemente perigoso, especialmente comparado com outras formas de fundamentalismo das outras religiões.

Dinamarca: Islão Ataca de Novo.

A fita usual: Aderentes da "Religião da Paz" planeavam  explodir com a sede de um jornal dinamarquês, que teve a audácia de publicar uns cartoons os quais fiéis islâmicos não apreciaram. O primeiro objectivo de mais uma acção terrorista do islão era matar o maior número possível de não muçulmanos. Cinco mouros foram presos numa operação da polícia dinamarquesa com a colaboração da polícia sueca, que permitiu impedir que o ataque iminente se consumasse. Os serviços de inteligência dinamarqueses prenderam quatro homens em dois raids nos subúrbios da capital, Copenhaga, tendo apreendido uma metralhora, um silienciador e munições. A polícia sueca comunicou por sua vez, ter prendido um homem de origem tunisina. Mais prisões podem ocorrer nas próximas horas, uma vez tudo leva a crer que os detidos fazem parte de uma mais vasta rede terrorista. Um dos presos na capital dinamarquesa, é um iraquiano que procurava asilo político.
O grupo planaeva entrar no edifício do Jyllands-Posten e matar o maior número possível de pessoas ali presentes.
Os fundamentalistas dispostos a cometerem actos de barbárie terrorista são mais do que as mães. Esta é  mais uma prova de falta de controle colectivo da raiva por parte dos muçulmanos firmemente radicado no corão, fonte do supremacismo islâmico e da violência para o conseguir. 

Sunday, December 26, 2010

Estalinegrado Climático.

O astrofísico Piers Corbyn, fundador da Weather Action, afirmou que este inverno vai ser a batalha de Estalinegrado para a igreja do aquecimento global : "Vai ser longa e dura, os cidadãos vão sofrer com o  muito frio, mas vai ser o principio do fim  da pseudo-ciência do man made global warming que se tornou uma religião. Pierre Corbyn afirmou ainda que nós "ainda não vimos nada", pois segundo o cientista esta semana pode ser dramática, quer para os EUA quer para a Europa, com recordes de queda de neve centenários.
As previsões Piers Corbyn para a última semana do ano são más: Duas ondas de nevascas entre 25 e 27 de Dezembro e 29 e 30 para o Sudoeste das Ilhas Britânicas, para o Noroeste da Europa, na Escandinávia, Benelux, Norte da Alemanha, Norte da Polónia e talvez ainda para os Estados Bálticos.
Entretanto na Inglaterra, há já quem pense responsabilizar o Met Office, a BBC e outras organizações que, sequestradas pela ideologia verde do aquecimento global, contribuiram decisivamente para a impreparação do país face a esta calamidade climática. Surpreendida pelo caos, a Grã Bretanha está a sofrer a maior vaga de frio desde que há registos históricos, isto é, desde 1659.
O Met Office, teve o descaramento de aconselhar o governo a não gastar biliões de libras na preparação de um inverno duro, porque segundo eles os invernos duros são um acaso uma vez que o clima está aquecer,  e só existiam 20% de hipóteses de tal se verificar. No entanto, os cientistas do Weather Action, cépticos do aquecimento global avisaram que este iria ser um inverno inimaginavelmente frio.
Eles avisaram, mas a propaganda verdusca do global warming foi mais forte.

Saturday, December 25, 2010

Alice No País das Maravilhas Diz Que Faz Um Frio De Rachar Porque Está Calor.

O Met Office (MT), o instituto de meteorologia inglês, devia ser distinguido por Sua Majestade, com uma medalha de cortiça pela incompetência prestada ao reino. Os erros são recorrentes, mas este ano, o caso torna-se mais sério, pois os senhores, talvez condicionados pela ideologia do aquecimento global de que são dos principais cultores no Reino Unido, previram um Inverno suave e ameno. Como se vê, o que nos está a acontecer cá pela Europa é o pior Inverno em 100 anos.

A cretinice climática infelizmente não é só apanágio de alguns técnicos da meteorologia inglesa. Atarantados com tal dose polar de frio, os warmers de todas as geografias vêm agora tentar convencer-nos, através da sempre colaboradora imprensa mainstream, que afinal o frio deve-se ao calor, isto é, os invernos estão mais frios porque faz mais calor. Estou convicto que Alice, mais conhecida por Rui Tavares, especialista em Tudologia, vem na Segunda-Feira, confirmar num jornal diário, onde discorre umas larachas esquerdisto-libertárias, que, afinal o barbeiro cortante que se faz sentir, é a prova provada do aquecimento global provocado pelo capitalismo, pela direita política internacional em geral e pelos Neo Cons em particular, pelo nefasto inesquecível GW Bush e pelos pequenos mafarricos dos israelitas.

Brincadeira á parte, os tipos do Potsdam Institute for Climate Impact Research na Alemanha, embrenhando-se no mundo informático em salas com o ar condicionado ligado a topo, calcularam nos seus computadorzinhos de estimação, que afinal, este frio estava desenhado pelos modelos informáticos. Só que eles ainda não tinham reparado bem na coisa, isto é nas evidências digitais. Argumentando que se mais gelo se fundir a Norte da Noruega e na Rússia, liberta-se mais calor para a baixa atmosfera ártica, empurrando assim as massas de ar árticas para o Sul em direcção á Europa Central. Esta explicação peregrina não comporta qualquer outro tipo de desenvolvimento científico ou especulativo, como seja por exemplo, quais as quantidades de fusão de gelo seriam necessárias para que o calor produzido influenciasse a dinâmica atmosférica. Pura magia portanto.
Outro azar desta "esplicação" está no facto das zonas onde estes senhores esperavam ar rasteiro mais quente, estarem atafulhadas de neve e gelo até dizer chega. Se não fosse suficientemente grave os dados observáveis não caberem dentro da teoria do aquecimento global, diferentes técnicos (recuso a chamar-lhes cientistas) daquele instituto entraram em contradicção total, para pasmo da opinião pública alemã. Assim, o sr. Vladimir Petuchov explicou às massas médias ignaras que os Invernos duros não refutam o aquecimento global mas pelo contrário confirmam-o. Já para o sr. Stefan Rahmstorf num artigo intitulado, Hard Winter Not a Sign of Climate Change, defendeu que o aquecimento global provoca Invernos mais amenos. Fazendo então a média de opiniões destes dois partidários da teoria do aquecimento global, poderiamos concluir que vamos passar a ter Invernos rigorosos mais quentes. Estão a ver bem a coisa? Estes tipos nem sequer acertaram a história previamente. Na Terça-Feira passada, uma conferência de imprensa no Instituto de Potsdam acabou num caos total de explicações mal amanhadas.

É caso para concluir como fez Jared Olar do Echo-Pilot.com: „An idea may be true, but if it is incapable of being ‘falsified’ or proven wrong, then whatever else that idea is, it certainly isn’t science.”

Não, não foi Alice que caiu no País das Maravilhas. Foi o País das Maravilhas que caiu sobre nós.

Bom Natal.

 

Quando o islão consegue atingir uma demografia significativa, substitui os sorrisos e a insistência interesseira na coexistência pacífica, pela intimidação e pela violência. Foi assim em toda a sua história, uma história de expansionismo subjugador dos povos que se deixam enganar e conquistar.
É isto que se está a ver actualmente em numerosas zonas do mundo. O Sul da Filipinas, é só mais um exemplo. Uma bomba explodiu durante a Missa do Dia de Natal numa capela, ferindo o padre e 10 pessoas que assistiam à cerimónia.
A ilha de Jolo onde ocorreu o atentado é um bastião da al-Qaeda e dos terroristas Abu Sayyaf.

Entretanto na Arábia Saudita, as autoridades religiosas mudaram o nome de uma escola com o nome do poeta Hatem al Tai, que vivera na era pré-islâmica e era cristão. A religião mais intolerante do mundo que espera a tolerância de todos para se conseguir impor, prova mais uma vez que a liberdade religiosa é algo que só deve existir para os muçulmanos nas terras em que o corão é quem mais ordena. 
"Um kuffar (não muçulmano) é sempre um Kuffar mesmo que frito em manteiga", afirmou o responsável pela mudança do nome da escola.
No dia 18 de Dezembro, ocorreu  em Paris, a Primeira Grande Conferência Contra a Islamização da Europa. Estiveram presentes oradores de toda a Europa, e foram aprovados orienytações políticas como um manifesto comum:
" Combater o crescente e agressivo proselitismo do islão, combater a ocupação dos espaços públicos por multidões muçulmanas em reza, combater o financiamento de mesquitas com dinheiros públicos, combater o desenvolvimento do crescente mercado da comida halal, contra o destino reservado ás mulheres, oposto ao principio da igualdade entre o homem e a mulher e em geral contra o avanço do islão no solo Europeu."

Wednesday, December 22, 2010

Bom Natal Para Todos.


Pelos cristãos perseguidos pelos muçulmanos em todo o mundo.

Segundo o jornal The Telagraph, só uma igreja em Baghdad, é que vai ter uma celebração de Natal, devido ao medo que os cristãos iraquianos têm, em ser assassinados ou feito prisioneiros, como aconteceu recentemente com o assassínio colectivo de dezenas de paroquianos. É de lembrar que desde então 1 000 famílias cristãs abandonaram o país devido á intolerância religiosa made in Islam.
Cinco muçulmanos incendiaram a Igreja de Nossa Senhora da Salvação, em Baghdad, matando dois padres e cerca de cinquenta pessoas. Agora a Amnistia Internacional avisou que um surto de violência pode estar iminente e abater-se sobre os cristãos na época natalícia. Devido ao medo, só quarenta pessoas assistiram á missa na Igreja da Nossa Senhora da Salvação no último domingo. Por entre os cânticos sacros daqueles cristãos corajosos, podiam ainda ver-se as marcas das balas islâmicas nas paredes do templo e o sangue derramado pelos inocentes massacrados.
Nós por cá no Ocidente ainda vamos podendo celebrar o Natal em liberdade, apesar das ofensas dos esquerdismo militante dirigidas a quem o Natal significa uma época especial do ano, e do Politicamente Correcto, que impede já, em numerosas zonas da Eurábia, que se deseje publicamente Merry Christmas para não ofender os muçulmanos.
É preciso ter topete.

Sunday, December 19, 2010

Sudão: O islamismo em acção.


Filme perturabador do dia-a-dia no mundo islâmico. Uma mulher vai ser punida segundo a lei da sharia.
Sádicos fascistas!

A comunidade internacional continua a assobiar para o lado no Darfur. Para os fracos de memória, o Darfur é uma região rica do Sudão, cujas populações, maioritariamente animistas e cristãos, foram desalojadas e massacradas pelos árabes sudaneses. O número de mortos ultrapapassa bem o meio milhão.
O presidente Bashir do Sudão tem um mandado de captura emitido pelo International Criminal Court acusando-o de genocídio. Mas aquele criminoso continua a passear-se entre países amigos que por coincidência são sempre países muçulmanos. Os direitos humanos e as acusações de genocídio parece não significar lá grande coisa para os dirigentes desses países. Aliás, a própria União Africana e a Liga Árabe protegem-no, com todo o apoio e compreensão declaradas da Organização da Conferência Islâmica. Democratas de longa data...né?
Agora o regime islâmico de Cartum planeia a islamização final do que resta do Sudão com uma dose acrescida, diria mesmo cavalar, de imperialismo árabe. Este plano conduzirá ao genocídio cultural para os não falantes árabes e para todos os não muçulmanos que "serão subjugados" de acordo com 9:29 do Corão, que os obrigará a converterem-se ou a bandonar as suas terras e o país.
O Norte do Sudão reforçará a sharia, lei islâmica, se o Sul se separar como resultado do referendo a realizar no próximo mês, garantiu o presidente Omar al-Bashir à BBC. O senhor Bashir afirmou que a constituição será modificada, tornando o islão a única religião, a sharia a única lei e o árabe a única lingua oficial. Segundo os observadores, estas afirmações servem para alarmar e chantagear os milhares de não muçulmanos provenientes do Sul do país, que vivem actualmente no Norte.
A imposição da sharia ao Sul não-muçulmano, foi uma das razões que conduziu a uma longa guerra civil que acabou com o tratado de paz de 2005. De acordo com este tratado, a lei da sharia era afastado do Sul e seria reconhecida a diversidade cultural e social dessa região. Este tratado não passou de um truque baixo. De facto o que se passa é que as forças islâmicas do Norte estão-se a reagrupar e a reforçar militarmente com a  ajuda da China. É preciso ser-se muito ingénuo para acreditar em qualquer oferta muçulmana.
O presidente Bashir garantiu que "a diversidade cultural não tem razão de ser quando a nova constituição entrar em vigor se o Sul se tornar independente."
As práticas islâmicas são brutais no que particularmente toca às mulheres. Activistas dos direitos humanos acusaram a polícia de brutalidade e acrescentaram que cerca de 600 000 chicotadas são anualmente disferidas às mulheres sudanesas. "Se são chicoteadas segundo a lei da sharia, não há investigação. Porque é que as pessoas ficam envergonhadas? Isto é a lei da sharia", comentou o Presidente Bashir.
Claro que os "bons" muçulmanos não têm nada que ficar envergonhados com a brutalidade da lei da sharia em acção. Qualquer um que fique envergonhado com chicotear as mulheres em público só pode ser um apóstata. E sabemos como é que o islão trata os apóstatas...

Friday, December 17, 2010

Ann Coulter

Ann Coulter, faz neste clip uma retrospectiva dos ataques muçulmanos aos EUA desde os anos 70. Se a estes ataques, juntarmos todos os milhares de outros cometidos contra não-muçulmanos, desde europeus até aos monges budistas tailandeses, passando pelas populações africanas cristãs e animistas, facilmente chegaremos á conclusão que todos os muçulmanos são potencialmente extremistas.
E devem ser tratados como tal.

Parabéns Pamela.

Pamela Geller do blog Atlas Shrugs, recebeu o famoso prémio Annie Taylor, um prémio que distingue a coragem excepcional. E se alguém nos EUA mostra muita coragem é exactamente Pamela Geller
que se dedica neste momento a vida a lutar contra os dragões do islamo-fascismo, destinguindo-se no combate contra a construção provocatória da mega-mesquita perto do Ground Zero, em Nova Iorque.

Sunday, December 12, 2010

Londres Lambe as Feridas.


Os cartazes do grupelho de extrema esquerda "Socialist Worker": os responsáveis pela violência em Londres.

Já aqui deixei escrito numerosas vezes, que o multiculturalismo na Inglaterra, está a levar a Velha Albion, para caminhos políticos muito pouco recomendáveis. A realidade dos factos está-me a dar razão.
Os efeitos da Santa-Aliança entre o esquerdismo antifa e o islão, abençoada por uma classe de jornalistas tendenciosos e militantes (os Daniéis Oliveiras de Sua Majestade), estão bem á vista nos recentes eventos ocorridos na capital britânica.
Tornou-se claro, desde cedo, que as manifestações dos estudantes foi infiltrada pela extrema esquerda inglesa perante uma polícia abúlica e não preparada para lidar com anarquistas e trotsquistas açanhados. (O que raio andaram a fazer os serviços de informação, que deviam ter antecipado as infiltrações de extremistas no seio deste movimento estudantil espectável?) 
A violência demonstrada vai muito para além da recusa da lei das proprinas. É o próprio regime democrático e a sociedade ocidental, conforme a conhecemos, que está em questão, como tão bem explica Dick Tavern no livro The March of Unreason: Science, Democracy, and the New Fundamentalism.
O padrão repete-se um pouco por toda a Europa, com as autoridades policiais e os governos irresponsáveis a limitarem-se a observar o assalto violento ás democracias liberais do Continente. Presos na teia do multiculturalismo que criaram, tolerante a todas as formas de intolerância, os governos, os partidos políticos e a UE, acossados por uma imprensa esquerdista simpatizante com a causa da falência da Civilização Ocidental, não mexem, por incompetência, por eleitoralismo ou por medo. A confiança dos antifas é de tal ordem elevada, que já reclamam ostensivamente pela revolução e pelo banho de sangue consequente.
O desrespeito demonstrado por qualquer simbolo Ocidental e pela democracia, desde a tentativa de invasão ao Parlamento inglês até ao ataque à limousine dos Principes Reais e à estátua de Winston Churchill, é só um pequeno vislumbre daquilo que vai acontecer a curto-prazo nesta Europa.
Europa que está ligada à máquina, em estado de coma por culpa própria, doente terminal de um vírus que ela própria criou e tratou de difundir - O esquerdismo multiculturalista.

No rescaldo desta jabardice esquerdista, elementos da EDL foram vistos a limpar a estátua de Winston Churchill.

Capital Sueca Atacada Pelo Islão.

Duas explosões abalaram ontem a capital sueca.
 Taimour Abdulwahab e Taimour Al-Abdaly, dois nomes associados à mesma pessoa no Facebook e em diversos outros sites na Internet, levou acabo duas explosões em Estocolmo, na zona comercial onde multidões faziam compras de Natal. Por milagre só duas pessoas ficaram feridas no ataque suicida.
Sabe-se já que o jihadista obteve graduação superior na Universidade inglesa de Bedfordshire, em Luton, exactamente a cidade inglesa mais islamizada e onde nasceu a English Defense League (EDL). Não é de afastar a hipótese de Abdulwahab ter recibido treino jihadista naquele ninho de ratazanas islâmicas.
As explosões ocorreram minutos após as cinco da tarde, perto de Drottninggatan, uma rua fechada ao trânsito automóvel repleta de lojas natalícias. As pessoas fugiram em pânico quando uma carrinha Audi, branca repleta de botijas de gás, explodiu em chamas. Minutos depois um homem de 28 anos foi noticiado como morto a duas dezenas de metros do local da explosão, tratando-se, segundo os media suecos, do bombista suicida.
O bombista iraquiano, primeiro pôs fogo á carrinha e depois andou cerca de 200 metros onde foi encontrado no chão a escorrer sangue do abdomen, com um saco de pregos ao lado do corpo. Minutos antes, o jihadista enviou um email para a polícia avisando que os suecos iam ser castigados por terem tropas no Afeganistão.
A sua página no Facebook incluiam a ‘Yawm al-Qiyaamah’, que significa O Dia da Ressurreição Islâmica, onde se pode ver uma foto-montagem com a Tower Bridge de Londres a ser devorada por chamas. Em sites de activismo islâmico, o tipo anunciava que andava á procura de uma segunda mulher com o consentimento da primeira,  sabendo perfeitamente que a poligamia é legalmente proibida na Europa, o que significa, também a partir deste caso, que as leis europeias são completamente votadas ao desprezo pelos muçulmanos.
Apesar deste atentado mostrar todas as características de uma acção terrorista islâmica, ser explosivamente faseada em curtos intervalos de tempo, o Primeiro-Ministro sueco, o senhor Reinfeldt, numa prova de dhimmitude também suicida, alertou os seus concidadãos para não tirarem conclusões apressadas: " Três coisas ocorreram um curto intervalo de tempo. Um carro explodiu na Olaf Palm Gate, um homem fez-se explodir em Bryggargatan, e uma agência noticiosa e a polícia receberam uma mensagem. Não podemos confirmar que os eventos estão ligados, no entanto este caso levanta algumas questões.", afirmou convicto.
É da minha vista ou a estupidez política vai e bem e recomenda-se lá para os lados da Suécia?
Video Clip aqui.

Sunday, December 5, 2010

Israel Today

Israel, é o país mais atacado do mundo. Atacado pelos islamo-fascistas do Hamas e do Hezbollah, pelaS prédicas dos imams islâmicos de todo o mundo muçulmano, pela Organização da Conferência Islâmica, atacados pela extrema-esquerda aliada dos fascistas islâmicos, atacados pela Assembleia Geral das Nações Unidas, pelas diplomacias da Eurábia e pela União Europeia de Durão Barroso.
Enquanto os paises muçulmanos são, basicamente, produtores de pobreza, violência e fanatismo religioso, jihadismo, desrespeito pelos direitos humanos e crime, que exportam alegremente juntamente com o petróleo e as laranjas, Israel é um país que trabalha em prol do bem estar da humanidade.
Se tiver dúvidas, espreite este clip.

 

Thursday, December 2, 2010

BRAVO Mr. Stadler.

Em baixo, um clip de um excelente discurso no Parlamento austríaco, do deputado Ewald Stadler, dirigido à Turquia e ao seu embaixador em Viena de Áustria.
Vamos a eles...que se faz tarde!
(Via Gates of Vienna)

Wednesday, December 1, 2010

Mr. Pat Condell - Goodbye Sweden


Tradução. Os parênteses são meus.
"Bem...este é um video que eu não queria fazer. Nenhum país na Europa fez mais por abraçar o pesadelo multiculturalista, quero dizer sonho, do que a Suécia. O que significa que nenhum país abriu tanto os seus braços à imigração muçulmana. E nestes dias, cada pedaço de noticia que vem da Suécia é mais e mais perturbador. Agora ouvimos que lá o governo, está tão determinado em diluir a sua cultura, fazê-la desaparecer, que mudaram a constituição sem consultar o povo (...) de maneira que os suecos estão constitucionalmente obrigados a praticar o multiculturalismo. Por outras palavras, é inconstitucional apoiar os valores suecos na Suécia. Porque a pessoas que governam aquele país, parece pensarem que há qualquer coisa de intrinsecamente vergonhoso ou desprezível acerca de se ser sueco. Eu acho isto extremamente enigmático, porque todos os suecos que eu conheço têm todas as razões para terem orgulho por quem são ou por aquilo que o seu país é, ou o que foi, e que pode tornar a ser um dia, se o bom senso regressar. Se alguém na Suécia for curioso acerca da imagem que o seu país projecta para o mundo exterior, o que eu teria para lhes dizer é que a imagem alterou-se consideravelmente nos anos recentes. Antigamente vista com prazer como uma das sociedades mundiais mais civilizadas e livres do crime, a Suécia é agora a capital da violação (violação às mulheres) da Europa, com o dobro das violações per capita do que qualquer outro país e, vinte vezes mais do que alguns.
O que pensar que terá causado tal mudança fundamental no carácter nacional sueco? Era o último lugar onde se esperaria um epidemia de violações. Não terá nada a haver com a cultura islâmica imigrante claro, (ironia) pois nada de mal nunca faz. É a cultura que ensina os homens jovens, que as mulheres que não estão cobertas dos pés á cabeça estão a pedir para serem violadas? É essa mesma! Realisticamente, só pode haver uma explicação, para qualquer um que não seja preconceituoso ou racista, é que os homens suecos devem ter qualquer coisa seriamente errada com eles. Talvez devam procurar ajuda psiquiátrica. A sério rapazes, vocês precisam.
Não vão ouvir muita coisa sobre os violadores imigrantes, porque durante anos os governantes e a imprensa naquele país, andaram a conspirar num crime contra o seu próprio povo, para deixá-los ás escuras, não só no Inverno mas no Verão também (ironia). Os jornais suecos são altamente subsidiados pelo governo e como tal os jornalistas rotineiramente censuram as notícias, para assegurarem que os imigrantes nunca são retratados desfavoravelmente (in bad light no original) e os criminosos não-suecos nunca são identificados como tal, criando a confortável ilusão que não existem imigrantes violadores na Suécia. E isto é muito estranho, porque na vizinha Noruega é praticamente tudo o que têm. De acordo com a polícia de Oslo todas as violações graves, nos últimos 3 anos, todas as 41 violações, todas foram cometidas por imigrantes do Médio-Oriente e de África e foram caracterizadas por grande violência. Más notícias para as mulheres norueguesas. Mas se viverem na Suécia não precisam de se preocuparem (ironia) porque não existem violadores imigrantes na Suécia, basta perguntar a qualquer jornalista.
Filosoficamente (?) observando do exterior, especialmente depois dos eventos recentes, é dificil não concluir que estamos a ver o roubo descarado de um país inteiro, e tudo o que podemos fazer é observar com  espanto e horror. Se eu fosse um corrector de apostas não aceitava mais apostas acerca se a Suécia se tornará o primeiro estado islâmico da Europa. Porque agora é só uma questão de tempo. E se alguém ainda duvida que esta mentira multicultural, é qualquer outra coisa do que um eufemismo para a deliberada islamização, pode gostar de saber que, para além de um grande apetite da Suécia por muçulmanos, mais muçulmanos e ainda mais muçulmanos, não há outro país que tenha deportado mais cristãos iraquianos para o Iraque, para serem massacrados como perús do Natal, pelo crime de não serem muçulmanos, porque na Suécia parece que só os muçulmanos têm direito a todos os direitos humanos.
Também devem ficar respectivamente surpreendidos de ouvir que a Suécia é a nova luz liderante do anti-semitismo politicamente correcto que temos visto na Europa, e os judeus já não se sentem mais seguros lá vivendo. Parabéns Suécia, que dupla! Violação e anti-semitismo, estão aí a erigir uma reputação na terra do sol da meia-noite, ou melhor, a terra do quarto crescente (simbolo do islão).
Quando foi relatado no inicio deste ano que os judeus que viviam na cidade de Malmoe, há gerações, foram expulsos...advinhem por quem? por muçulmanos imigrantes, o Presidente da Câmara de Malmoe lavou as mãos como o Pôncio Pilatos, chegou tão baixo que culpou o governo israelita, pela sua própria cobardia moral. Ele disse que os judeus na Suécia, devem-se distanciar das acções de Israel se quiserem evitar serem abusados. É Assim que parece ser como as coisas funcionam na Suécia nos nossos dias, para evitar ofender os criminosos é mais fácil culpar as vítimas. E neste caso, adoptar as posições terroristas muçulmanas, de cada judeu é um soldado de Israel. No entanto, permanece um facto inconveniente, é que o corão diz aos muçulmanos que odeiem os judeus, porque são judeus e não por causa da Palestina. Não menciona os palestinianos. E se Israel desaparecesse amanhã, os judeus na Suécia e em toda a Europa, continuavam a ser assediados e abusados pelos imigrantres muçulmanos ignorantes e repletos de ódio, por serem judeus e não por qualquer outra razão. E então vocês, os dhimmis multiculturalistas, tinham que arranjar qualquer outra razão para continuarem a assobiar para o lado.
Felizmente os judeus, tendo uma longa prática de serem abusados e de terem as costas largas, precisam de carregar (exibir?) todos os seus Prémios Nobel. Estatisticamente, um judeu tem milhares de vezes mais probablidades de ganhar um Prémio Nobel do que um muçulmano, e só pode existir uma razão para isso, não pode? Ha! ha! é isso, islamofobia (ironia). Claramente que o  comité do Prémio Nobel tem preconceitos irracionais contra a ignorância induzida pela religião e precisam urgentemente de treino de sensibilidade de consciência de cultura. Talvez o governo sueco possa dar uma mão, e tomar uma posição moral, expulsar o Prémio Nobel do país e recolocá-lo em Telaviv onde ele pertence. Eu admito, que eles se desgraçariam a si próprios, rebaixavam o seu país e embaraçavam todo o mundo livre se o fizéssem... mas estão-o já a fazer. Então qual é a diferença?
Paz"
Pat Condell

Monday, November 29, 2010

A Aldeia Solar.

Vi ontem num canal de televisão, uma pequena entrevista com um dos responsáveis por um projecto de aplicação prática de energias alternativas, denominado Aldeia Solar. Segundo bem entendi, a coisa acontece lá para o Alentejo e o grande objectivo de tal projecto, é o de mostrar como a humanidade pode e deve viver com energias limpas numa perspectiva ambientalmente sustentável. Não coloco em causa a bondade deste projecto, até porque quanto mais depressa nos livrarmos do petróleo mais depressa os árabes ficam sem o seu principal sustento e deixam de ameaçar a humanidade com islamismos paleolíticos.
Contudo, no decorrer da entrevista o entrevistado afirmou categoricamente que, pretendem não só alterar a maneira com as pessoas se relacionam com o ambiente mas também como as pessoas consomem a energia. Isto é, o projecto vai muito para além da engenharia ambiental, caindo no campo da engenharia social. E aqui é que a porca torce o rabo. A demografia da Aldeia Solar comporta 60 almas, mas vai crescer lentamente para poder albergar 500 pessoas.
O entrevistado deixou claro que os fornos, também solares, são comunitários e... a televisão. Não pensem que cada agregado familiar pode ter a sua televisão. Os painéis solares não aguentam. Para já existem duas televisões para 60 pessoas o que dá uma média de uma televisão por 30 pessoas. E antes de mais coloco a questão: Quem vai segurar o comando do aparelho e controlar o que as pessoas podem ver ou não? Será o querido camarada ecologista pertencente ao comité de sábios da Aldeia? E como é que se gerarão os consensos sobre aquilo que a aldeia vai poder ver? Isto cheira-me a comunismo á moda de Ceausescu.
O indivíduo na Aldeia Solar faz parte de uma formigueiro comunista. O individualismo soçobra noutra tentativa colectivista... agora esverdeada...por fora.
Estou certo de que na Aldeia da Luz, o "sol brilhará para todos eles".

Sunday, November 28, 2010

The Economist... Requentado


Os editores da revista The Economist, no que trata á climatologia, são uns idiotas rematados...ou melhor, requentados.
 O objectivo geral da revista é ignorar todos e quaisquer factos que possam contradizer a sua obsessão editorial com o "aquecimento global" e agora eufemisticamente chamado "alterações climáticas". No ano passado, a The Economist publicou uma capa que dizia "Stop Climate Change". É como querer que a Terra pare de girar á volta do Sol. A questão surgiu na mesma altura em que as infra-estruturas fictícias do "aquecimento global" se desfizeram naquele enorme estrondo chamado Climatgate...cujo resultado foi o fiasco da última conferência das Nações Unidas, daqueles mentirosos encartados que se reuniram em Copenhague para impor a compra, venda e comércio de "créditos de carbono" sobre o mundo. Um ano mais tarde, a Bolsa de Chicago, que tinha sido criada para lucrar com o golpe, havia fechado suas portas.

Aparentemente, apesar das gritantes manchetes nos jornais britânicos, ninguém na The Economist estava ciente de que o Climate Research Unit (CRU) da Universidade de East Anglia, tinha elaborado uma das maiores fraudes científicas na história da ciência no Reino Unido, fraude essa destinada apoiar os desígnios warmers do IPCC. Será que os editores do The Economist aprenderam alguma coisa no ano passado?
Não. Na verdade, a capa da última edição diz precisamente: "Como viver com as alterações climáticas." Num ano, desistiram de "acabar com o aquecimento global" para a posição conformista de "viver com o aquecimento global". Num ano, os editores da The Economist passaram de estúpidos... a muito estúpidos.
Esta não é a idéia mais original dado o facto de que os seres humanos têm vivido com as mudanças climáticas desde que descemos das árvores há dois milhões de anos e começámos a andar erectos, desenvolvemos a linguagem...etc. Os Esquimós encontraram maneiras de sobreviver no Ártico. Os Polinésios aprenderam a viajar entre as ilhas do Pacífico. Em toda o lado civilizações vieram e foram. A agricultura foi introduzida para alimentar mais e mais pessoas que, por sua vez, preferiram viver nas cidades em vez de arar o solo. A arte e a ciência da guerra floresceu.
A The Economist centrou a sua atenção na próxima semana na "reunião das Nações Unidas sobre Mudança do Clima", o tema de uma conferência a ser realizada em Cancun, no México. A anterior conferência, em Copenhaga, naufragou na notícia de que nunca houve qualquer aumento significativo na temperatura da Terra. A única "prova" do "aquecimento global" poderia ser encontrado em práticas corruptas, em modelos de computador falsificados pelo CRU da Universidade de East Anglia. O presidente Obama teve mesmo que sair mais cedo por causa de uma tempestade maciça de neve que envolveu Copenhaga. Até mesmo o The Economist. teve de admitir que "na sequência da cimeira de Copenhaga, "há uma crescente aceitação de que o esforço para evitar uma mudança climática séria vai esmorecer."
Este tipo de artigos alarmistas são autênticos actos de criminalidade jornalística. Publicar mentiras descaradas deveria ser punido, mas o The Economist não é intimidado por algo parecido com a verdade. Estão longe de serem os únicos. Cá na paróquia os media mainstream padecem do mesmo mal. Nesta edição, a The Economist defende a peregrina "probabilidade" de que "a Terra será de pelo menos 3 graus Celsius mais quente no final deste século do que era no início da revolução industrial". É a podridão total.
Antecipando o festival de mentiras de Cancún, The Economist trauteia uma redistribuição maciça de riqueza dos países industrializados para aos países sub-desenvolvidos sob o domínio de déspotas, do islamismo, do comunismo...para sistemas que mantêm esses países sub-desenvolvidos e pobres.
Ao ser entrevistado recentemente, o oficial do IPCC, Ottmar Edenhofer, um economista alemão, sem rodeios, disse que: "É preciso libertar-mo-nos da ilusão de que a política climática internacional é a política ambiental".
Eu pergunto: Então o que é política de mudança climática realmente? É sobre como "nós de facto vamos redistribuir a riqueza do mundo ...." 
Isto soa-me ao paleio da cassete comunista habitual.

Al Gore Está Deprimido...

...e Pachauri pensa que as pessoas podem perder a fé nas Nações Unidas. Leram bem...fé. Este senhor queria convencer o mundo sobre o aquecimento global na base da...fé. Estamos entregues aos bichos!
Al Gore está deprimido porque, como se pode ver no gráfico acima representado, o planeta está a arrefecer há 12 anos seguidos. Ainda por cima o Inverno está a chegar mais cedo um pouco por todo o lado, mesmo em Cancun, onde se vai realizar mais uma fantochada sobre as alterações climáticas, com o elevado patrocínio das Nações Unidas.
Cá por Portugal, Bragança atingiu uma mínima de -6ºC. Nos próximos dias prevê-se a queda de neve, tal como aqui ao lado em Espanha. Para lá dos Pirinéus, a Europa está coberta de neve. Na Escócia, foram batidos vários recordes históricos de temperaturas mínimas de Novembro. Claro que o Met-Office, um gabinete meteoreológico e altamente dogmático, previu como é o seu costume exactamente o contrário, isto é um fim de Outono ameno. 

Na China, a neve chegou 40 dias antes do habitual, e segundo fontes meteorológicas em Pequim, a mais intensa dos últimos 30 anos. Nalgumas províncias do Canadá, as temperaturas estão 10ºC abaixo da média sazonal. No Alaska, o mau tempo foi designado de icepocalypse. (via Ecotretas).

Saturday, November 27, 2010

Notícias


O Canadá decidiu boicotar a conferência das Nações Unidas conhecida como Durban III. O ministro da imigração Jason Kenney afirmou que o evento vai encorajar o racismo em vez de o combater e  o Canadá não fará parte de tal "charada". Há ainda governos e políticos no mundo Ocidental que combatem o cinismo politicamente correcto. O governo do Canadá é seguramente um deles.
Noutras notícias, os Cristãos Coptas continuam a ser descriminados no Egipto. A construção de uma nova igreja prossegue com todas as autorizações assinadas, mas o governo interveio, impedindo que aquela igreja afinal, não se possa construir. É caso para começar a demolir algumas das milhares de mesquitas que poluem a paisagem europeia. An eye for an eye...Neste momento, a Religião Cristã é a mais perseguida do Mundo (especialmente nos países muçulmanos) e parece que até o Vaticano assobia para o lado.

O artista e cartonista sueco, Lars Vilks foi novamente ameaçado de morte pelos filhos de Alá. Desta vez a ameaça veio da milicia al-Shabaab, originária de um pardieiro que se chama Somália, e é um dos muitos grupos islâmicos ligados á al Qaeda, que fedem por esse mundo fora.
Foi preso em Portland, Oregon, um teenager de 15 anos, originário também da Somália (mas que pardieiro!) que pretendia fazer explodir uma carrinha, junto à multidão que assitia à cerimónia de iluminação de uma grande árvore de Natal. Mohamed Osman Mohamud, o jagunço islâmico, afirmou que sempre sonhou fazer este espectáculo de pirotecnia, com pedaços de corpos, sangue cristão e iluminações de Natal.


Agora as melhores notícias:
Cada vez mais muçulmanos deixam o islão, tornando-se apóstatas. Para além deste acto, quase heróico, tomam a responsabilidade de mostrar ao mundo, a vil natureza de tal obscurantismo. A quantidade de sites e de blogs na internet destes corajosos que deixaram o islão para trás, está a aumentar, mesmo em países pouco prováveis como são o Afeganistão e o Paquistão.
A História ainda nos vai fazer uma surpresa...agradável!

Friday, November 26, 2010

O Ingénuo Ocidente.

O islão só tem um objectivo: tomar o poder no Ocidente, e tornar os países Ocidentais em estados islâmicos. Acreditar no contrário é meramente o exercício de wishful thinking. São os próprios que o afirmam. O presidente da CAIR, o senhor Omar M. Ahmad, destacando este ponto, afirmou -" O islão não está na América para ser igual a qualquer outra fé, mas para se tornar dominante. O corão...deve ser a mais alta autoridade na América, e o islão deve ser aceite como a única religião na Terra."- Esta afirmação só reflete aqui que o próprio corão lhes ensina:
"é Ele Quem enviou o Seu Apóstolo, com a orientação e a Religião da verdade para proclamá-lo sobre todas as religiões, mesmo que os pagãos o detestem."
Alcorão,  "Arrependimento", (al-Tawba), Surah IX, 33 e "Formação de Batalha", (al-Saff), Surah LXI,9 (tradução por A. Yusuf Ali)
Estes são os factos que as pessoas devem tomar conhecimento. Devemos tomar conhecimento do que se está a passar nas nossas ingénuas costas. E as ambições dessas pessoas precisam de ser esterilizadas - imediatamente. Fazer qualquer outra coisa é vender o futuro das nossas crianças pelo cano abaixo. Esqueçam o politicamente correcto. Nós precisamos de proteger os nossos próprios interesses, interesses que têm dado ao Ocidente as suas liberdades por gerações, liberdades duramente conquistadas, liberdades de que muitos milhões de homens tiveram de perder a sua vida, na trincheiras de França ou no desembarque na Normandia: liberdade de pensamento, liberdade de expressão, liberdade de acção, a liberdade de crença. Uma vez estas liberdades retiradas de nós, elas serão retiradas para sempre.
Os muçulmanos, por outro lado, não estão no "negócio" de diluir a sua mensagem islâmica, em nome do politicamente correcto. Na verdade, o islão não compreende o politicamente correcto. A única "correcção" que o islão e os muçulmanos compreendem é a "correcção corânica". NUNCA NOS PODEMOS ESQUECER DISTO. É PERIGOSO PARA NÓS FAZÊ-LO.
Existem muitos lideres no mundo muçulmano e a viver entre nós que não escondeu as suas palavras e intenções sobre o seu objectivo de, eventualmente, assumir o controle do Ocidente e torná-lo islâmico. Existem inúmeras citações e tomadas de posições públicas suficientes para nos elucidar:
"É obrigação de todos os muçulmanos completar a marcha da jihad (guerra santa) até atingirmos América e libertá-la- Um americano convertido ao islão.
"Pelo ano 2020, devemos ter uma presidente americano"- Um delegado na convenção da AMA (American Muslim Convention).
Os nossos lideres políticos que emitem brandas e piedosas mensagens de fézada  sobre um alegado islão benigno, que de todo não existe, ajudam a enfraquecer ainda mais uma outra e mais importante fé: A fé em nós próprios e na confiança que o Ocidente tem que ter para ultrapassar esta sua mais Negra Hora.

Wednesday, November 24, 2010

Julgamento de Elisabeth Sabaditsch-Wolff.

Iniciou-se em Vienna de Áustria, o julgamento de ESW por ter citado palavras do Corão. Na Eurábia, os infiéis, isto é, os não-muçulmanos são já considerados dhimmis, cidadãos de segunda uma vez que a Europa está já ocupada pelo Islão. Se não está, parece, e daí podermos ter sérios problemas em citar, criticar e manifestar contra  a islamização da Europa, sob pena de sermos considerados culpados de "incitamento ao ódio", que não é mais do que um eufemismo para eresia, imposto pelos inquisidores que defendem o Islão, para que este possa triunfar sem demora e sem obstáculos na Europa.
Contudo ESW, vai apresentar duas personalidades que a vão defender. O professor Jansen, um holandês que assistiu Geert Wilders durante o julgamento, um dos maiores arabistas mundiais e Wafa Sultan, originária da Síria que vive nos EUA e apóstata muçulmana. Wafa Sultan é psiquiatra e especializada na tirania teológica e ramificações políticas do Islão.
Apoiamos ESW nesta sua batalha pela nossa liberdade comum, contra a inquisição muçulmana, contra a injustiça e contra a islamização da Europa.
Deixo aqui, via Gates of Vienna, excertos do interrogatório de ESW:

Lawyer: What is meant by “We are decadent”?


Elisabeth: That is the point of view of Islamic fundamentalists.

Lawyer: What is meant by “We do not want Sharia here, full stop”?

Elisabeth: Free, secular societies is what we want.

Lawyer: What is meant by “Islamic law is not compatible with free societies, we need to understand this.”?

Elisabeth: Islam is a whole, and this whole is not compatible with free societies like the Austrian.

Lawyer: Did you see any veiled Muslim men?

Elisabeth (laughing): No, this is an obligation only for women.

Lawyer: You were referring to Paris, Brussels, Rotterdam. What is the meaning of that?

Elisabeth: This is a reference to the no-go zones, where Sharia is effectively the law. There immigrant youths torch cars, throw stones at the police, etc.

Prosecutor: Are each and every one of these persons Muslims?

Elisabeth: The majority are.

Lawyer: What is meant when you say: “How many times have we been told that Islam is a Religion of Peace?” Is this an incitement to hate or violence?

Elisabeth: I do not mean to incite hatred or violence. We need to be informed, make people aware, inform our politicians and write letters to the newspapers.

Lawyer: What is meant by “We do not want gender apartheid, polygamy”?

Manifestação Violenta em Londres.

Mais uma manifestação de estudantes ingleses em Londres contra o aumento do valor das propinas...e mais uma vez infiltrados por antifas mascarados. Perante a inoperância da policia metropolitana, que pelos vistos só tem tomates para reprimirem as manifestações da EDL, os antifas conseguiram destruir uma carrinha da polícia, partir montras e quase entrarem no parlamento inglês...por uma janela. É de salientar a coragem de uma jovem estudante que enfrentando a escumalha mascarada anarco-islâmica, conseguiu por breves momentos impedir a acção desta turba. (na imagem)
O multiculturalismo de estado inglês para além de ter arruinado a sua própria cultura e tradições está agora a mostrar a face de um país "imunodeficiente", que mais cedo do que tarde vai cair na anarquia.
Será Londres uma gigantesca Beirute num futuro próximo? Acredito que sim.

Thursday, November 18, 2010

França: Caça à Polícia em Zona Muçulmana.

Palavras para quê?...São muçulmanos da Eurábia...

Cimeira da NATO

Nos próximos dias, Portugal e o Mundo, vão poder apreciar mais uma jornada anti-NATO dos líricos do costume. Desfilando prepotência pela baixa de Lisboa, com a bazófia habitual acerca do militarismo, dos direitos humanos, dos danos colaterais...da paz, ao mesmo tempo que praticam terrorismo intelectual sobre quem não pense como eles. Na cabeça da manifestação irão estar aqueles mullahs do passado, aqueles padres vermelhos, dirigentes do comunismo nacional, mais os pós Queda do Muro de Berlim, que é como quem diz, os bloquistas, alegadamente de esquerda, que perdidos como pintainhos, orfãos da galinha choca que era a União Soviética, acabaram por improvisar um acto de contrição armando-se em liberais. E até passaram a dar lições de liberalismo com as suas causas fracturantes, como se tivéssem sido eles a derrubar pessoalmente o Muro dos costumes.  
Na azáfama de virarem a casaca, esqueceram pelo caminho as únicas santas palavras de Marx e Lenine: "A religião é o ópio do povo", e fizeram-se putas da religião islâmica. Porque é que estes esquerdistas se abespinham tanto contra as democracias ocidentais e contra Israel? Com que direito estes esquerdistas condenam o sionismo quando se tornaram mais beatos que um cura de aldeia? Como diria Oriana Fallaci!
Com que direito esta canalha condena a NATO, quando ficam calados com as atrocidades diárias cometidas pelo islão?
Nas manifs irão estar organizações desenterradas do Paleolítico Superior. Estou a falar do MDM, Movimento Democrático das Mulheres, uma organização "feminista" pró-soviética, á altura. Isto promete ser digno de uma verdadeira parada de Halloween, com a aparição de diversos zombies políticos entremeados por pacifistas floribélicos, e terroristas quase anarquistas ou vice versa.
As feministas do MDM, deviam era ter vergonha na cara, ("tirai as máscaras falsas amazonas") e limitarem-se a ficar por casa a preparar o jantar para a filharada e maridagem progressistas, e com toda a certeza, manifestante. Feministas que não abrem a boca contra a burqa, e não mexem um dedo contra os abusos que o Alcorão ordena ou permite que se cometa contra as mulheres. Neste caso, os direitos humanos já não se aplicam e sobretudo, não fazem parte da sua interpretação do Progressismo. Nem a poligamia praticada pelos muçulmanos na Europa faz parte dos seus conceitos de Justiça.
Nesta autêntica feira de vaidades da burguesia de esquerda social-fascista (lol), que vão ser as manifestações anti-NATO, (fazem-me recordar, por ironia, a célebre canção de Fernando Tordo, A Tourada), vão estar também as cigarras homossexuais, "devorados pela raiva de não serem totalmente fêmeas". Vão agitar maneirismos maricas contra as casernas dos militares desejando, em segredo, estar dentro delas para poderem serem violados por gangs de marines, negros e devidamente armados... se bem me faço entender.
No fundo, vou-me divertir a observar a jactância política, as asneiras, as mentiras gritadas por megafones sindicais ,as palhaçadas de rua...e como é normal nestas ocasiões:
 os cães ladram mas a cimeira passa.

Friday, November 12, 2010

Mr. Pat Condell.

Lavagem ao Cérebro de Criança de Pais Muçulmanos.



Why do we accept its self-definition as one thing, when it acts in every measurable way as another? What other 'religion' currently has soldiers in the field fighting our troops? What other religion calls for genocide? What other religion celebrates the deaths of thousands of innocent civilians? Obviously, none. Islam is unique."

Uniquely incompatible with civilization.

Só Cabeça e Pescoço.


A CAIR (Council on American-Islamic Relations) que honestamente se deveria chamar SITA (Support on Islamic Terrorist Activities),  aconselhou as mulheres muçulmanas, que viagem de avião, a deixarem-se unicamente revistar na cabeça e no pescoço, nos habituais procedimentos de embarque nos aeroportos. Quem disse que estes fascistas não têm sentido de humor? A probablidade de um terroristas islâmico se meter dentro daqueles balandraus negros que se chamam hijabs e burqa, apetrechado com um cinturão de explosivos e fazer explodir uma sala de embarque ou um avião, é altamente provável. Daí ser cómico, quase inocente tal proposta. Será que as autoridades aeroportuárias americanas vão no filme? Duvído.
A revista corporal ás mulheres é contrária à lei islâmica, mas os senhores esquecem-se que vivem no Ocidente, no qual, a sharia não tem, ou não devia ter, qualquer efeito. Se não se sentem bem com as nossas leis, tem uma boa solução para esse mal-estar e indisposição. É fazerem as malas e ir para os países que os pariu. Se nasceram no Ocidente devem-se sempre lembrar que, em Roma sê romano.

Thursday, November 11, 2010

É Preciso Pôr Fim À Imigração Muçulmana Para O Ocidente.

Segundo o Mail OnLine, manifestantes islâmicos desrespeitaram a solenidade das comemorações do Dia do Armistício, para com os milhões de soldados caídos na I Guerra Mundial (incluindo milhares de portugueses) .

Minuto de silêncio na Loyds

 Membros de um grupo muçulmano auto-denominado Muslim Against Crusades, carregaram sobre a polícia tentando boicotar o profundo pesar demonstrado no Dia do Armistício por milhões de britânicos que faziam silêncio respeitoso pelos mortos, em Central London.

 
Os animais muçulmanos, nem os nossos mortos respeitam. Quando o Big Ben batia as 11 horas, (a Primeira Guerra Mundial acabou ás 11 horas do dia 11/11 de 1918) aqueles que vivem do ódio inspirado pelo corão queimaram um modelo da flor papoila (poppy) e desataram a grunhir alarvemente: "'British soldiers burn in hell'.
 
 A papoila tornou-se num memorial dos caídos, porque se notou desde as Guerras Napoleónicas (onde morreram milhares de portugueses) que aquelas flores cresciam á volta dos corpos dos mortos. Mas foi, no entanto, um médico canadiano, de nome John McCrae que no seu poema In Flanders Fields, a tornou um símbolo do sacrifício dos seus camaradas.






O multiculturalismo, o apaziguamento relativamente aos islâmicos, está já a custar muito caro e ainda vai custar muito mais caro ao ingleses e a todos nós ocidentais. As imagens chocantes da manifestação de estudantes, infiltrada por antifas, que assaltaram, incendiaram e onde estiveram 5 horas a destruir impunemente a principal sede dos Tories, o maior partido da coligação governamental, é só um sinal, daquilo que há muito tempo se advinha. É só uma pequena amostra daquilo que os ingleses vão sofrer na pele. É tempo, enquanto o têm, de mandar embora os muçulmanos, de prender os antifas, ilegalizar os partidos e os bandidos de fato e gravata e a comunicação social que os apoiam...

Porque os antifas e os seus aliados islâmicos, da política só conhecem o confronto físico, a violência e a destruição. Nada disto tem ligitimidade democrática e a democracia tem que se defender. E neste momento já tem que se defender com maior violência do que a dos antifas e dos islâmicos. Para o nosso bem.



Mais Um Perseguido

Um leitor de Neuromante enviou-me o seguinte link, onde se pode mais um vez verificar que "os democratas" das chefias palestinianas, não hesitam,  em prender ou aniquilar (?) todos aqueles palestinianos que pensem livremente. Mais uma vez também é de notar o pesado silêncio dos finórios ocidentais que fazem da causa palestiniana uma afirmação política e até um modo de vida.
Na verdade, a diferença entre a(s) Autoridade(s) Palestiniana(s) e aqueles que na Holanda e na Áustria accionaram judicialmente, respectivamente, Geert Wilders e Elisabeth Sabaditcsh-Wolff, não é grande.

Saturday, November 6, 2010

Lyon (2)

Procurámos no passado as  possíveis raizes da violência política na Europa actual, partindo das manifestações de Lyon.

Em França, bem como na Inglaterra, os primeiros na esquerda a reconhecer que algo de grande tinha acontecido naquelas manifestações dos anos 80, foram as ridículas seitas trotsquistas, grupelhos saudosistas do Maio de 68, sem qualquer expressão política. Esta esquerda não democrática, viu uma oportunidade de luxo para crescer. Os trotsquistas sabiam muito bem que, de um ponto de vista marxista, o islamismo era menos do que agradável. Nos anos 40, os trotsquistas geraram uma literatura própria sobre o fascismo e o  islamismo, nomeadamente um ensaio sobre a natureza fascista da Irmandade Muçulmana, escrito por Tony Cliff, o fundador do British Socialist Workers Party. Mas isso aconteceu há muito tempo. E os trotsquistas actuais orgulham-se de não serem mimados! Além disso, o camarada Cliff não era a única autoridade política do passado. Os trotsquistas dos anos 80 e 90 foram capazes de reclamar para si, que o trotsquismo começou como um estilhaço do comunismo soviético; capazes de relembrarem que nos anos iniciais da revolução soviética, os comunistas na Ásia Central e do Sul, costumavam perseguir uma política astuta e amigável relativamente aos  revolucionários islâmicos.
Os trotsquistas dos anos 80 e 90 abominavam organizações como o SOS Racismo e a esquerda moderada da moda, Bernard-Henry Lévy, os Novos Filósofos, considerando-os nada menos do que excrescências da burguesia. Foi nessa altura que os trotsquistas olharam, para os cada vez mais visíveis islamistas que se manifestavam, armavam confusão e provocavam violência nas cidades francesas sempre que podiam. A sociedade francesa estava (e está) apática face a estes novos gangs donos da rua e os trotsquistas, oportunos, quiseram apanhar a boleia de um movimento que consideraram sociológico, em vez de ideológico. Colocavam agora o foco na classe social, em vez das ideias. O islamismo pode ser terrível, para qualquer tipo de ponto de vista normal de esquerda, mas olhado sociologicamente, no entanto, os islamistas apareciam aos olhos dos esquerdistas, uma rebelião proletária. Um movimento vindo de baixo. A violência nas ruas de imigrantes incendiava a imaginação e  as pulsões revolucionárias destes homeless trotsquistas franceses que ficaram impressionados e... asnos. E, no espírito da solidariedade marxista e de uma rematada idiotice, estenderam-lhes a mão. E desta santa aliança contra o capitalismo, os USA, Israel, a Europa e o Ocidente, nasceram os antifas. Esta união foi paradigmática para todos inergúmenos da extrema-esquerda que se radicalizavam cada vez mais.
Grupelhos marxistas e a ultra-direita islâmica estava agora estratégica e tacticamente unidos, infiltrando-se em manifestações, que acabavam frequentemente em violência. Foi o caso da marcha de Paris contra a invasão do Iraque, não porque um grande contigente da Baatistas (partido de extrema-direita) seguiam em apoio do facínora ditador iraquiano Sattam Hussein, mas porque na manifestação seguiam judeus pacifistas envergando yarmulkes na cabeça. Um grupo de manifestantes "pacifistas" irromperam
na multidão espancaram os judeus e impediram-nos de continuarem. Esta violência numa manifestação alegadamente pacifista, anunciava algo de novo. Este ataque aos judeus de esquerda só por serem judeus tinham agora a marca dos antifas, tinha a marca dos trotsquistas e dos anarquistas aliados do islamismo. Estava-se muito longe das marchas dos anos 80 cuja  palavra de ordem era: "Não toques no meu amigo". E muito mais longe das palavras de ordem do Maio de 68: "Nós somos todos judeus".
Nos próximos dias em Portugal, por alturas da Cimeira da NATO, vamos assistir à acção directa dos antifas. Simpatizantes do Bloco de Esquerda, dos Black Bloc e de outros extremistas prometem incendiar Lisboa.
Esta gente já não é de esquerda. Esta gente são os novos SA nazis...com apoio parlamentar.

Friday, October 29, 2010

Julgamento de Geert Wilders. A Farsa.



Como diria Alberto João Jardim: Está tudo bêbado!
Neste clip podemos ver o jornalista, Rutger van Castricum do programa de TV holandês Sem Maneiras, encostar completamente ás cordas um tal René Danen, o verdadeiro antifa. Uma espécie de Daniel Oliveira ao cubo. Depois deste espectáculo de autêntico bas fond amsterdamer, que torna as Red Light District uma zona de grande dignidade, o advogado de Wilders pediu a recusa da comissão de juízes, alegando falta de imparcialidade o que foi aceite pelo Tribunal de Amsterdão. Este desenvolvimento implica que todo o processo comece de novo com a nomeação de outra comissão.
Entretanto René Danen, o verdadeiro antifa, despediu os advogados: o de rabo de cavalo que pareciar estar pedrado e o marroquino.

Wednesday, October 27, 2010

As "Elites" Pasmadas e o Rei Vai Nú.

Ora aí está! Conforme Neuromante previa, as declarações de Angela Merkel sobre a falência do modelo multiculturalista, levantaram um coro de protestos indignados dos demagogos sociais do costume. Por cá, o jornal Público destaca-se nesta "jihad" contra os "populistas" e "racistas" que cometeram só o erro de serem realistas, portanto de verem a realidade social europeia como ela de facto é. Pelo contrário, as Teresas de Sousa e os Paulos Mendes Pintos, continuam a meter a cabeça na areia e a imaginar coisas, oferecendo largo curso à dissonância cognitiva publicada e à paranóia de que padecem. Acossados pela desagregação de um conto de fadas de um mundo, que a ideologhia multiculturalista e as suas mentes floribélicas criaram , os ditos, atacam com ignorância fingida e com a seriedade da má-fé.
O primeiro truque ou erro como quiserem, que Paulo Mendes Pinto (PMP) utilizou para caracterizar o problema que o aflige na Europa, é o de misturar a integração dos imigrantes muçulmanos com imigração de pessoas não muçulmanas. Em primeiro lugar, como Director da Licenciatura em Ciência das Religiões de uma universidade portuguesa, devia saber que na Europa a maioria dos muçulmanos não se querem misturar e nem sequer se querem identificar com os valores sociais dos países de acolhimento. Nós europeus não muçulmanos somos kafir e daí ocuparmos um lugar muito baixo na escala social dos valores que esses muçulamos trazem ou passam ao seus descendentes. São eles que se auto-segregram que se auto-excluem que impõem um apartheid de que culpam os governos europeus. Não existe grupo religioso mais bem tratado na Europa. O sr. PMP tinha a obrigação de saber isto. Se não o sabe, é incompetente na função universitária que ocupa. Se sabe, é simplesmente um demagogo mentiroso e manipulador das consciências dos leitores daquele jornal.
Gerações de imigrantes portugueses, espanhóis, tailandeses, italianos, peruanos, caraibenhos, irlandeses, brasileiros, ucrânianos, etc, não sentiram estes problemas não criaram problemas de descaracterização da paisagem cultural e axiológica dos países europeus hóspedeiros, nem nunca foram sentidos como uma ameaça. E muitos, mantinham na intimidade das suas vidas as tradições dos países de sua naturalidade. Portanto a falência do modelo multiculturalista deve-se inteiramente á voluntária vontade da maioria dos muçulmanos em recusarem viver numa cultura que desprezam. Não se pode por isso falar em imigrantes, porque os imigrantes muçulmanos são um caso muito á parte.
Em segundo lugar, quanto vezes é preciso dizer que o islão não é uma raça. Existem muçulmanos brancos, louros e de olhos azuis. Outros são negros e ainda outros cor de azeitona verde. O islão abarca numerosas raças, portanto chamar racistas a todos aqueles que amam a liberdade e se opõem aos desígnios  colonialistas do supremacismo islâmico, é mais um erro deste senhor. Pobres estudantes de tal curso que estão a ser enganados sem o saberem...
Em terceiro, quem não fez o trabalho de casa não foram os suiços. Foi mesmo o sr. Paulo Mendes Pinto. Estudos realizados em diversos países da Europa mostraram claramente que os imigrantes muçulmanos não contribuem para qualquer aumento  de percentagem do PIB desses países, bem pelo contrário. A maioria vive das benesses e da gratuitidade da seguranças sociais desses países.
Em quarto, o sr. PMP acaba tão mitómano quanto começou nesta sua pobre opinião. Atira-nos para cima a ideia de que os portugueses são um povo que recebe bem os imigrantes. Infelizmente, conheço muitos casos em que cidadãos brasileiros e africanos foram muito mal tratados neste país.
Enfim, o desespero provoca alucinações em espíritos fraquinhos e em mentes, que apesar de adultas, ainda não aprenderam nada de História...nem de Camões...
"Todo o Mundo é composto de mudança
 Tomando sempre novas qualidades..."

Monday, October 25, 2010

Ferreira Gullar Sobre Lula.


Numa extraordinária entrevista a um jornal diário português, o escritor brasileiro Ferreira Gullar põe os pontos nos is sobre Lula. A entrevista é extensa e deixo aqui só um breve resumo.
Sobre as relações entre o Brasil e o Irão de Ahmadinejad Gullar afirma:
" O Lula é um esperto. Só pensa no poder dele. Foi para o Ahmadinejad fazer o quê? Um bandido. Um facínora. O cara que diz que o atentado ás Torres Gémeas foi uma invenção dos americanos. Esse cara não tem qualificação de estadista. E o Lula trata dele como se fosse um estadista. Foi para lá achar que ia resolver o problema da pacificação porque  é doido. É megalomaníaco."
A entrevistadora sempre a tentar defender o Lula e a Dilma, já que o jornal onde trabalha é um  bom defensor de todos os demagogos politicamente correctos e da esquerda global, acrescentou que o argumento de Lula era o de fazer a ponte entre o Norte e Sul, entre o Ocidente e o Irão. Ferreira Gullar imparável, respondeu:
" Veja o seguinte: aquela luta dos palestinos tem 60 anos. Todos os estadistas do mundo tentaram resolver e não conseguiram. Eo Lula vai conseguir, sem ter lido um livro? O Lula que mal sabe quem é? Chega lá no Oriente, quando o Brasil não tem nada a ver com aquilo lá. Demagogo. Para ter projecção internacional, porque ele é "mega". Ele é a vergonha do Brasil. É uma vergonha."
A entrevistadora carrega nas tintas, e diz que o Lula tem prestígio internacional entre os governos do mundo. Gullar explica:
" Tem prestígio na área que acha que o operário é melhor. É a herança marxista que ficou. Hoje, todo o professor universitário acredita nisso. O operário é o salvador do mundo. Isso vem do facto do Brasil eleger um operário Presidente da República. E as pessoas não têm conhecimento do que acontece aqui. Será que um redactor do  Le Monde conhece o Brasil mais do que eu? Não conhece. Sabe de ouvir dizer. Há uma lenda em torno de Lula. A minha felicidade é que dentro de 3 mêses ele sai da televisão e me deixa em paz."
A jornalista pediu um comentário em relação ao que Maria da Conceição Tavares disse sobre Serra, que ele mudou para a direita.
" Queria só que ela me explicasse se ela é de esquerda. Porque, veja bem, o Lula é aliado de Collor de Melo. Ele é de esquerda? Por acaso a campanha deles é de esquerda? Aliado com Collor, aliado com o bispo Marcelo Crivella, que é um safado, braço direito do bispo Edir Macedo, que enriqueceu com o dinheiro das empregadas domésticas, criando a Igreja Universal do Reino de Deus. Acha que isso é de esquerda? A conceição Tavares afirmar que o Serra é de direita supõe que a Dilma é de esquerda. Então eu estou dizendo quais são os aliados da Dilma. A Dilma é de esquerda? Mas o PT não é de esquerda. É um partido corrupto. O PT de esquerda já acabou há muito.
O comunismo chegou ao fim. Nós todos que participámos dessa aventura, somos obrigados a reconhecer isso. Cumpriu a sua tarefa, mudou o mundo, a relação de trabalho, as conquistas dos trabalhadores. E esgotou a sua tarefa. Então se acabou a URSS, alguém sonha que vai fazer socialismo no Brasil? Estou abrangendo a coisa de maneira ampla. Porque é que as FARC viraram organização de narcotráfico? Porque não têm mais perspectiva. Vai fazer revolução na Colômbia? Socialismo? Acabou na URSS, acabou na China e vai começar na Colômbia?"

Excelente! Ferreira Gullar tem 80 anos, lutou contra a ditadura como comunista e esteve preso. Recebeu este ano o Prémio Camões e é um dos grandes escritores da Língua Portuguesa.
Na entrevista Ferreira Gullar ainda considerou a Dilma como uma marioneta do Lula que quer regressar ao poder em 2014. Chamou Lula, com razão, de ignorante, mentiroso, fome de poder e vergonha do Brasil.
Assim, sem papas na língua.