Sunday, May 31, 2009

Demografia


A grande crise que a Europa atravessa é a crise demográfica, não a actual crise económica. Todos nós percebemos que se não começarmos a fazer filhos a civilização ocidental tem os dias contados. Estamos a chegar ao ponto de não retorno. Era previsivel que em tempo de eleições os nossos políticos tivessem alguma coisa a propor ao eleitorado sobre o assunto. Nem uma palavra. Para a esquerda europeia, apostada em defender os interesses dos imigrantes, principalmente dos muçulmanos, esta situação de falência demográfica europeia excita-os. Como idiotas úteis que são, serão as primeiras vítimas, se a natureza da nossa civilização se alterar na direcção do triunfo do islão. O sr. Miguel Portas terá então a oportunidade de ofecer o cúzinho e o pescoço aos Hezbollahs se o islão triunfar na Europa. Não desespere do rabinho pois só faltam 20 anos.
Agitam-se estudos que concluem que os imigrantes são muito necessários para manter saudável o cancro do Wellfare State e para fazer crescer o PIB. O que esses senhores não dizem é que podemos perder a liberdade se a invasão de africanos, e muçulmanos na Europa continuar e se a demografia dos nativos europeus não crescer. Eu por mim prefiro ser mais pobre mas livre... e viver como sempre vivi.
Conheço muitos casais que desejariam ter mais filhos, mas as condições económicas e a sociedade competitiva pseudo meritocrática, não lhes permitem.
Deixo aqui 3 singelas ideias para combater a queda demográfica que ajudariam a evitar a Queda da Europa:
1º- Substituir o Rendimento Minimo Garantido (RMG) por um RAP, isto é, um Rendimento Assegurado para Reprodução.
2º- Aumentar para valores significativos o abono de família. É preferivel existirem familias com Rendimentos Assegurados para Reproduzirem do que familias mais ou menos marginais com RMG, que se dedicam á preguiça e ao crime.
3º. Rever a legislação laboral que assegurem apoio efectivo a grávidas e a casais com recém nascidos e filhos até aos 4 anos.
Se os empresários se queixarem é porque só estão interessados no lucro. Há uma coisa muito mais importante que a economia. É a liberdade e a nossa civilização ocidental.

2 comments:

princesa das estrelas said...

Gostaria apenas de o informar, porque vi que escreveu sobre o assunto, que A Jóia de Medina foi publicada esta semana em Portugal pela Casa das Letras.
Obrigada

rui mig said...

Cara princesa das estrelas:

agradeço a informação pois não sabia da publicação do referido livro.

bem haja

rui mig