Thursday, February 17, 2011

Ejecção de Massa Coronal Atinge a Terra.

video

Segundo o site Space Weather, verificou-se há 4 dias, uma Ejecção de Massa Coronal (plasma) que se dirige para a Terra. Os efeitos do choque das partículas (electrões e protões)  com o campo magnético terrestre devem-se fazer sentir a partir do dia 17 de Fevereiro, podendo originar uma tempestade magnética, classificada pela NOOA como moderada a forte. Nas altas latitudes, formar-se-ão auroras boreais após o anoitecer. Este flare solar é o maior desde Dezembro de 2006.
Em baixo, o estado actual do Sol hoje.

Segundo a NOOA a região 1158, conjunto de manchas situadas mais abaixo á direita na fotografia, continuam quentes e a crescer rapidamente, enquanto a região 1161, conjunto de manchas situadas mais acima e à esquerda, continuam a produzir pequenos flares.
Em 29 de Maio de 2009 reuniu-se um painel de especialistas liderados pela NOOA e pela NASA tendo publicado uma nova previsão do próximo ciclo solar, denominado Solar Cycle 24. Os cientistas afirmaram que o máximo de actividade solar se atingiria em Maio de 2013, com um número de manchas solares abaixo da média, (gráfico) sendo por isso considerado um ciclo fraco.
No entanto, esta classificação pode ser mal interpretada, uma vez que um ciclo fraco pode produzir um clima espacial severo como foi o caso da super-tempestade geomagnética de 1859, resultante de uma grande Ejecção de Massa Coronal, a qual, ocorreu num ciclo considerado fraco. Nessa altura, as Auroras Boreais, chegaram á latitude de Roma e os cabos de cobre dos telégrafos davam choques eléctricos aos seus operadores tendo provocado alguns incêndios. Um fenómeno destes hoje em dia, "atirava" o mundo de volta para o século XIX.
Alguns especialistas,
prevêm também uma intensa actividade solar em 2012 coincidente com um enorme "buraco" no escudo geomagnético. Esta previsão recebeu pouca atenção, pois o ano de 2012 encerra conotações sobrenaturais, as quais afastam, obviamente, os cientistas.
Também curiosa, foi a observação de estranhos halos solares na Finlândia. Normalmente os halos solares (produzidos pelos cristais de gelo das nuvens na alta troposfera, normalmente cirros) são circulares. Neste caso (foto abaixo) os halos são eliptícos.

1 comment:

. intemporal . said...

.

.

. sempre o saber . aqui . propulsor do meu aprender .

. grat.íssimo .

. abraço .

.

.