Saturday, July 23, 2011

Ainda os eventos de Oslo.

Apesar de ainda ser cedo para conclusões definitivas, a pista dos atentados parece conduzir para a responsabilidade de um norueguês de extrema-direita. Os média multiculturalistas e os esquerdistas do costume, não perderam tempo em relacionar este indivíduo com os movimentos e blogues anti-jihadistas, como o Gates of Vienna e o Atlas Shrugs, entre outros. Para os silenciar, obviamente, pois é o único argumento que os esquerdistas que controlam as sociedades ocidentais, possuem.

Contudo, não se faz a pergunta mágica: Como é que se chegou até aqui? A resposta nem sequer é complexa. Chegámos aqui porque o esquerdismo vigente, em todos os estratos de poder e do controle da sociedade, para aqui nos dirigiu. Não é impunemente que os comunas e os liberais de esquerda, vendam os povos e suas culturas ancestrais ao islamismo. Não é impunemente que se retiram aos povos toda a capacidade de decisão no que toca ao seu futuro. Não é impunemente que marginalizam os povos europeus fazendo-os vergar, sem direito a critica, às políticas de imigração suicidárias. Os partidos responsáveis pela engenharia social destinada a subverter as culturas e tradições dos povos europeus, mais cedo ou mais tarde vão ter que responder.

Esta situação em Oslo, é mais um episódio da guerra civil que ocorre ainda em surdina na Europa. Não pensem os comunas e esquerdistas, os juízes corruptos e académicos idealistas e estúpidos, que podem vender e destruir os povos e a Europa sem consequências. No futuro próximo, mais esquerdistas serão abatidos, mais serão fuzilados e muitos mais atentados enviarão a morte aos inocentes. A Eurábia existe, e como qualquer zona árabe, a violência e o caos dominam. O projecto europeu (do qual a Noruega não faz parte) aproxima-se a passos largos de um pesadelo. Ao contrário da utopia com que os escuteiros eurocratas e europeistas sonham, a Europa aproxima-se de uma hora bem negra.
E isto ainda não é nada. Os responsáveis morais da construção da Eurábia e da desconstrução da Europa, são todos aqueles que conduziram os povos europeus, a este beco sem saída, aos sentimentos de insegurança, do medo e sobretudo da impotência.
Experimentem, meus senhores, fazer refendos a nível europeu sobre a presença de milhões de muçulmanos na Europa. Experimentem fazer referendos sérios sobre se os povos querem a União Europeia. E logo verão...e logo veremos...todo o mundo verá que estamos a ser vítimas de uma engenharia social imposta de cima por elites progressistas e tecnocráticas, como se vivessemos na Roménia de Ceaucescu.

5 comments:

FireHead said...

A extrema-direita está a crescer na Europa e isso está a assustar o esquerdume que fará de tudo para travar esta tendência. Será em vão.

rui mig said...

Quem com ferros mata...

Martini Bianco said...

Concordo com a sua opinião, apesar de para mim um terorista é um malfeitor seja ele islâmico ou de outra seita qualquer, o que me está a chocar é facto da comunicação social andar a apelidar este assassino de "fundamentalista cristão" estando desta maneira a banalizar os ataques terroristas islâmicos que acontecem todos os dias.

Seriam aqueles jovens apesar de simpatizantes da politica suicida do Partido Trabalhista Norueguês, responsáveis pela horda de muçulmanos que entraram naquele país sem controlo algum, nos ultimos anos? Seriam eles os responsáveis pelo multiculturalismo selvagem que se instalou naquele país em tão pouco tempo?

Para mim estas é que são as questões fundamentais, mas pelo que leio na blogosfera o perigo é sempre o "espantalho" da extrema-direita, essa que felizmente está boicotada e vetada á censura, mas que se mantém bem viva em muitas e "brilhantes" cabeças como as que sofrem do marxismo-cultural.

A sua opinião sobre este tema é bastante pertinente por mais que na comunicação social opiniões destas estejam também vetadas à censura.

gutenberg said...

Muito boa a sua abordagem.
No primeiro momento cheguei a acreditar que fossem atentados islâmicos, inclusive porque dois grupos chegaram a assumir a autoria (Vê como poderia ter sido?)
Depois surgiram especulações sobre o Mossad, uma vez que a Noruega é pró Palestina.
Finalmente surgiu Anders Breivik.
Não concocordo com ele sair matando pessoas, mas a compreensão dele do cerco à Europa não é errada.
Aqui no Brasil, a própria revista Veja, a maior do País, escreve na capa "Anders.... preso em Oslo, deixou na Internet um rastro de ódio ao multiculturalismo"...
Veja, aqui no Brasil há muita confusão entre a ideia de uma sociedade formada por vários povos e culturas, como a do Brasil, e o multiculturalismo em que há uma relativização as culturas e cada um que vive dentro de um território que que o seja à sua moda e segundo seus costumes (o caso dos islâmicos na Inglaterra, por exemplo.) A esquerda está explorando isso faz tempo, e isso corrói o sentido mesmo de democracia. De fato, o multiculturalismo é um ácido para a nossa civilização cristã que é o pano de fundo das nossas democracias ocidentais.
Isso só vai trazer confusão e choques sociais graves.
Você está coberto de razão em sua análise.
Talvez o Anders não tenha encontrado outra maneira de argumentar que matar, mas já é um sinal da gravidade da stuação (independente de qualquer loucura dele).
Gutenberg

rui mig said...

Resposta a Martini Bianco e a Gutenberg:
O oportunismo da imprensa escrita mainstream em denominar de extrema-direita este fenómeno é propositadamente simplista. É propaganda para consumo dos incautos e mal informados. O perfil do atirador enquadra-se no de uma pessoa normal que atingiu o limite da frustação e da impotência perante um sistema multiculturalista totalitário mas de discurso democrático. Infelizmente o homem atingiu o ponto de ruptura e perdeu a cabeça. É um passo atrás na luta contra a islamização da Europa. A comunicação social que defende a destruição dos valores ocidentais e crstãos, não se fica por aqui. Como muito bem disse, Martini Bianco,a denominação de fundamentalista cristão, serve para colocar os cristãos ao mesmo nível dos islâmicos. Os desonestos esquerdistas agora podem afirmar que o terrorismo cristão também existe.
É por causa destas e de outras manipulações do género que a guerra vai continuar e agudizar-se no futuro.
Os povos estão fartos e as bestas "progressistas" não os ouvem.