Monday, July 11, 2011

A Lei da Sharia no Reino Unido.


Apesar da indiferença dos cegos e da comprensão dos líricos, a Eurábia constrói-se paulatinamente no dia a dia. O status quo multiculturalista e esquerdista domina, e quem ousar denunciar a marcha do islão em terras de Sua Majestade, arranja complicações para a vida, com a real possibilidade de ser preso. Como aliás, já aconteceu por diversas vezes. Os ingleses estão reféns, cercados e prisioneiros na sua própria casa, por uma admnistração político-judicial, que não permite qualquer manifestação de dissidência.
Vastas áreas do país são de facto governadas por estrangeiros à revelia de qualquer processo eleitoral democrático e com a lei e a ordem democráticas a não serem válidas para todo o país. A criação de enclaves islâmicos faz-se a bom ritmo, e com o crescimento demográfico dos muçulmanos, os não-muçulmanos ficarão a viver dentro de algum tempo em autênticos guetos no seu próprio país.
Militantes islamistas conseguiram que em diversas zonas daquele país fosse banido o álcool e a mistura de sexos, com o mais cobarde e cumplice silêncio das autoridades dessas áreas. 
De resto, tudo se passa à luz do dia sendo inclusivamente noticiado pelos media. Jovens islamistas actuam com a determinação e a "legalidade" das tropas de choque hitlarianas, tornando as ruas (e as prisões) o seu campo de conquista e de proselitismo, ou por outras palavras, estabelecem a supremacia no Dar Al Harb (terra da guerra). E não lhes faltam  advogados dos "direitos humanos" para lhes defender a causa contra a nossa liberdade e modo de vida.
Recentemente foram colados milhares de posteres e autocolantes limitando zonas controladas pela lei da sharia, onde se impõem toda uma série de proibições; "Proibído o jogo", Proíbido concertos musicais", "Proíbido a prostituição", "Proíbido a pornografia", "Proibido fumar"...
Os posters declaram ostensivamente: "Está a entrar uma zona controlada pela lei da sharia". "Aqui as leis islâmicas governam e são obrigatórias."
Não satisfeitos, reclamam criação de uma polícia da sharia para a fazerem cumprir. Parece mentira mas é verdade.
"Nós queremos criar zonas onde os muçulmanos possam viver uns com os outros" afirmam alto e em bom som de megafone em punho pelas ruas e em mesquitas.
"Nós vivemos entre os não-muçulmanos mas queremos distinguir-mo-nos deles."
É a Eurábia no seu melhor. Isto e muito mais pode ler aqui

3 comments:

FireHead said...

O Reino Unido está desgraçado. Vamos lá ver quando é que essa ameaça vai-se materializar em Portugal...

gutenberg said...

Mas que barbaridade!É inacreditável. Quem poderia imaginar, há alguns anos, que isso pudesse virar realidade. É no que dá o multiculturalismo idiota e o politicamente correto. Estamos a caminho aqui no Brasil, mas vamos resistindo. A pressão na Europa é terrível. Aguentem firmes, irmãos de Portugal. Força!
Abraço
Gutenberg

gutenberg said...

Rui, boa noite
Reproduzi o seu post no meu blog.
Abri o link para o Vlad e li um comentário de um leitor dele sobre que a matéria desapareceu dos arquivos do Daily Star.
Fui checar e é isso mesmo. Veja você mesmo. O nome de Dominik Lemanski aparece em outras reportagens, mas não há a indicada por ele e reproduzida por você. Creio que o Daily sofreu pressões.
Gutenberg