Wednesday, April 14, 2010

Lista De Coisas Que Ofendem Os Mulçumanos (3)

Filmes, Artes Cénicas e Comunicação Social -Parte II

1. Talk Radio/Michael Savage- A odiosa Council on American-Islamic Relations (CAIR), um grupo que pode ser o braço legal da al-Qaeda, é muito activo no silenciamento de todas as vozes que nos EUA mostram que o Islão moderado é ficção. Aliás são os próprios "moderados" da CAIR que provam, pela sua oposição a qualquer voz critica do islão, que o califa vai nú, isto é, que o islão moderado não existe.
A CAIR levou a efeito uma, entre muitas, acções contra a National Review Magazine, contra  Paul Harvey, uma personalidade no meio radiofónico americano, e contra os produtores do canal 24 de televisão. Em 2007 perseguiu Michael Savage, voz premiada dos Talk Shows americanos. A CAIR fez pressão sobre os anunciantes do programa de Savage e por submissão e cobardia as companhias retiraram o apoio publicitário. Se conseguirem destruir a carreira de Michael Savage isso será o equivalente a destruirem as torres gémeas da critica nos EUA.
2. You Tube -  Os muçulmanos conseguiram que os responsáveis do You Tube retirassem vezes sem conta material que os incomodava e ofendia. O caso mais notório foi o do filme de Geert Wilders - Fitna.
3. Bruce Almighty foi proibido de ser exibido em vários países muçulmanos. No Egipto não encontraram melhor explicação do que a do Altíssimo não poder ser mostrado em figura de gente, (ainda por cima negra e superiormente representado por Morgan Freeman como é seu apanágio.)
4. Evan Almighty, banido na Malásia por pretensas ofensas á religião dos malaicos. Muçulmana claro!

5. Versão dramática dos Versículos Satânicos.  Segundo a Reuters (Berlim), em 28 de Março de 2008, um grupo de muçulmanos protestou violentamente contra a versão teatral do livro de Salman Rushdie. Nurhan Soykan, porta-voz de (mais um) conselho central dos muçulmanos da Alemanha, disse à imprensa que os muçulmanos acreditam na liberdade de imprensa (a sério? Não me digam?) e na liberdade de expressão, mas esta "tem os seus limites". "Nós estamos preocupados com as provocações e os insultos contra os muçulmanos que recentemente se têm verificado". (Porque será?)
6. O filme, A vida de Maomé. 30 de Março de 2008. O ex-deputado do Partido Trabalhista holandês
Ehsan Jami, fundador do Comité de Ex-Muçulmanos anunciou que ia produzir um filme em banda desenhada anti-islâmico, sobre a vida de Maomé. O filme iria mostrar, entre outros feitos, o Maomé entesuado pela menina de 9 anos com que casou. Os membros de um grupo de contacto muçulmano ameaçaram que iriam colocar todos os elementos desse projecto em tribunal se ele fosse realizado. Em consequência, Ehsan Jami foi atacado e espancado em sua própria casa por muçulmanos. Depois de mais este acto de violência e de censura, os muçulmanos "caíram" novamente na "religião da paz" até nova ofensa. É assim que se faz a jihad e é assim que nos tiram a liberdade e nos tranformam em dhimmis. É mais do que altura de os mandar f........ camelos.
7. Brigitte Bardot, está farta de ser multada e ameaçada de prisão por criticar a tortura halal dos animais. Por achar que a maneira como os muçulmanos matam os animais é desumana (é um facto) fazendo-os sofrer até expirarem, ela foi "constituída" como inimiga do islão, insultada, processada cinco vezes, tendo apanhado já pena de prisão suspensa dada por juízes franceses que assim a silenciaram. Da próxima vez que ela se rebelar contra o tratamento muçulmano-desumano dos animais terá pena de prisão efectiva. Já chegámos ao Egipto? Parece que sim.
                                                                     
8. Telenovelas Indianas, foram consideradas imorais e contrárias ao islão no Afeganistão e banidas.

9. A Fuga das Galinhas. Este filme de animação foi considerado conspiração e propaganda sionista pelas autoridades teocráticas fascistas do Irão. Talvez o Harry Potter, o Pokemon e a Coca-Cola sejam considerados, por estes paranóicos, as próximas conspirações judaicas.

10. Saving Private Ryan. Banido em numerosos países muçulmanos por ser considerado propaganda sionista . Cá para mim eles não gostaram foi de ver os nazis seus aliados a serem derrotados pelos americanos. Aliás os Bloquistas de Esquerda também não apreciaram o filme, concerteza pelos mesmos motivos.

1 comment:

Administrador said...

Em 2001, o desenho POkemon foi proibido na arábia saudita, porque consideraram promovia o zionismo.
vai o link para voce conferir:
http://news.bbc.co.uk/2/hi/middle_east/1243307.stm